28 junho 2013

Coluna: Papeando com o Leitor #1!




Normalmente encontramos informações imprecisas e erradas sobre Vocaloid na internet, neste texto o que esperamos é acabar com qualquer dúvida sobre o tema, e caso seja necessário, reformular algumas informações posteriormente. E não, Vocaloid não é um anime.

Provavelmente podemos chamar de banda, Vocaloid foi criado como um software de síntese de voz que age através de fonemas e teve sua primeira versão lançada em 2003, pela divisão musical da Yamaha, tendo sido lançadas mais duas versões depois. Este software singular precisa de um banco de vozes para funcionar, ou seja, ele precisa de amostras de dados de uma pessoa que são lidas pelo software e permite alterar coisas como o pitch, o volume, a intensidade da nota, entre vários outros aspectos disponíveis.

A segunda versão do software de síntese de voz foi lançada em 2007, e permitiu melhoras significativas do programa de sintetização de voz. Em outubro de 2011, foi então lançada à terceira versão do sistema, que disponibilizou além de alguns leves ajustes, uma nova interface para o software.

Apesar de ter sido lançado em várias partes do globo, ao que parece, este software foi mais bem aceito e difundido no Japão, onde as vozes do software ganharam inclusive avatares. A primeira voicebank disponibilizada na Japão em 2005 foi a da Meiko, lançada pela Crypton Future Media e que logo ganhou um avatar. Sua voz logo foi reconhecida e bem aceita graças à qualidade.

Logo após, em fevereiro de 2006, a mesma empresa lança a o primeiro Vocaloid masculino para o público japonês, chamado Kaito, devido à fácil pronuncia e para combinar com sua antecessora Meiko, e que não por acaso tiveram as vozes escolhidas e programadas para que soassem juntas em harmonia, artificio utilizado para criar duetos entre os dois, como um verdadeiro casal.

Em outubro de 2007, a empresa Crypton Future Media lança a primeira voicebank para a segunda versão do sistema, chamada Hatsune Miku. Seguindo o mesmo padrão utilizado no lançamento dos primeiros Vocaloids, Miku chegou ao mercado já com um avatar e uma pequena descrição de personagem, ela gerou o maior sucesso de vendas do software, gerando inclusive demanda por coisas como roupas, cd’s, jogos, etc.

Devido ao grande sucesso, a empresa lança mais dois Vocaloids, os gêmeos Rin e Len Kagamine, seguindo a mesma estratégia de marketing, porém, por causa de certos problemas das voicebanks destes dois, eles não fizeram tanto sucesso, tendo quer ser relançados cerca de seis meses depois. Dentre os Vocaloids mais populares lançados, temos ainda Megurine Luka. Ela veio pouco depois dos gêmeos e segue a mesma linha de lançamento dos outros Vocaloids lançados pela Crypton. Sua única singularidade é possuir duas voicebanks, uma em versão inglesa e outra em japonesa, ela é, sem duvidas, a favorita dos usuários ocidentais. Existem ainda outros voicebanks criados a partir da versão Megpoid do software Vocaloid 2.

Entre os lançados que obtiveram maior sucesso junto com seus avatares, estão GUMI, Gakupo e Lily, sendo que após o lançamento de Vocaloid 3 a empresa responsável já vem discutindo novas extensões para a voicebank de GUMI para outros idiomas, como para o inglês. Mas a história do software não se resume apenas aos voicebanks citados até agora, graças ao sucesso alcançado no Japão, a empresa continua em desenvolvimento e já têm projetos de lançar voicebanks como Clara e Bruno, versões de idioma espanhol.

Por terem origem japonesa, o design de todos os Vocaloids já lançados seguem as características de personagens de anime, com grandes olhos e cabelos coloridos, tendo ainda um código numeral em forma de tatuagem em seus avatares, logicamente começando da Meiko com o número 001.

Como já afirmamos anteriormente, o sucesso gerado no Japão após o lançamento da voicebank da Miku, foi tão grande que até mesmo shows foram desenvolvidos para satisfazer o público, logo, como não são pessoas, a técnica utilizada durante os shows é o emprego de hologramas, junto com uma banda real tocando ao fundo. Possuem ainda um repertorio musical muito variado, com músicas mais animadas, infantis, ou até mesmo bastante sombrias. Eu particularmente, prefiro as músicas deles que seguem o estilo de “Dark Woods Circus”, ou “Alice, Human Sacrifice”, para as quais foram desenvolvidas inclusive creepypastas na internet. Boatos sobre significados ocultos nestas músicas.

Devemos lembrar também, que as vozes como eu disse antes, não se constroem do vazio, existem cantores especializados em quem as vozes dos Vocaloids são baseadas, estas são as pessoas que estão por trás dos principais personagens:






Espero que tenham gostado de conhecer um pouco sobre este software tão famoso no mundo otaku, e que tenham entendido que apesar de parecer um anime, Vocaloid não é nada disso. Fiquem com um aparte do show destes personagens.

Confira algumas imagens abaixo:










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se