23 janeiro 2016

Cinema #2 - A Quinta Onda!



Título: A 5º Onda
Gênero: Ficção Científica
Direção: J. Blakeson
Elenco: Alex Roe, Bailey Anne Borders, Charmin Lee, Chelsea Hayes, Chloë Grace Moretz, Dave Maldonado, Derek Roberts, E. Roger Mitchell, Gabriela Lopez, Liev Schreiber, Madison Staines, Maggie Siff, Maika Monroe, Marc John Jefferies, Maria Bello, Matthew Zuk, Nadji Jeter, Nick Robinson, Parker Wierling, Paul Ryden, Ron Livingston, Talitha Bateman, Terry Serpico, Tony Revolori, Zackary Arthur
Roteiro: Sussannah Grant
Produção: Graham King, Matthew Plouffe, Tim Headington, Tobey Maguire
Duração: 112 min.
EstúdioColumbia Pictures / GK Films / Living Films / Material Pictures
 Sinopse
A Terra repentinamente sofre uma série de ataques alienígenas. Na primeira onda de ataques, um pulso eletromagnético retira a eletricidade do planeta. Na segunda onda, um tsunami gigantesco mata 40% da população. Na terceira onda, os pássaros passam a transmitir um vírus que mata 97% das pessoas que resistiram aos ataques anteriores. Na quarta onda, os próprios alienígenas se infiltram entre os humanos restantes, espalhando a dúvida entre todos. Com a proximidade cada vez maior da quinta onda, que promete exterminar de vez a raça humana, a adolescente Cassie Sullivan (Chloe Grace Moretz) precisa proteger seu irmão mais novo e descobrir em quem pode confiar.

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Enigmático, cheio de tensão e uma pedida mais que imperdível para os fãs de ficção cientifica, A Quinta Onda mexe com o emocional do telespectador e garante não só entretenimento variado entre ação e romance, como fortes críticas e emoções com personagens profundamente cativantes.


Cassie (Chloë Grace Moretzé uma garota normal, assim como muitas outras. Em um mundo que parece ser uma vida passada a sua, quando não tinha que se preocupar com sua segurança a cada centímetro que avança, sua maior dificuldade era atrair atenção do garoto bonito na escola. Mas tudo isso mudou. A realidade que conheceu foi tomada pelo Outros. Nós não estamos sozinhos no universo. Em quatro ondas (ataques ao planeta), toda a civilização foi quase totalmente consumida. A primeira onda liquidou com toda eletricidade e comunicação. A segunda trouxe catástrofes ambientais indescritíveis; matando e destruindo cidades inteiras. A terceira onda, um vírus mortal, espalhado pelo ar, capaz de dizimar o mínimo de sobreviventes que restou. A quarta onda... Eles estão entre nós. Estão preparando a quinta e última, da maneira mais brutal que possa pensar. E a cada passo rumo a cumprir a promessa feita a seu irmão, Cassie se vê mais envolvida não só pelo mistério, como também pelo seu enigmático ajudante, Evans Walker (Alex Roe). Seria esse o momento adequado para se envolver com alguém. Seria ela capaz de confiar sua segurança a outro?

Dirigida por J Blakeson, só posso atestar minha felicidade pelo trabalho incrível que a Sony fez no filme. De efeitos a interpretações impecáveis, A Quinta Onda é uma nova aposta para o mercado cinematográfico que merece sim, uma futura continuação. Com um enredo que mescla romance e ficção cientifica, a produção soube explorar bem as duas partes, sem tornar os momentos românticos melosos e parados demais, ou as cenas de ação muito forçada e a todo instante. Geralmente, filmes que envolve guerras planetárias tendem sempre a mostrar a já desenvolvida conquista. Neste aqui não. Somos arrematados por um flashback muito bem narrado, onde conhecemos os primeiros estágio da guerra, presenciando-a ao vivo. Sobre a visão da personagem, o longa ganha cores, emoção e tudo se transforma em uma agonia só, vivendo sobre a suspeita que na cena seguinte tudo pode acontecer.

Embora tudo isso, evidentemente, sendo um filme hollywoodiano, o apelo vai totalmente para um provável triangulo amoroso, não tão bem explorado. Os personagens são apresentados, de fato, mas a que mais se consegue uma total visualização é Cassie, já que os outros somem totalmente em sua narrativa. O filme também não trabalha a ideia central da  obra original, uma crítica muito bem aguçada sobre o comportamento humano e a forma de encarar o ambiente a sua volta. Se por um lado todos se sentem afetados quando os aliens conhecidos como Outros chegam, devastando tudo, a consciência humana não se encontra tão pura assim também. No livro, trabalha-se muito com um paradoxo, se avaliado profundamente a trama, quando os humanos não são "heroinizados ou vilanizados" partindo da suposição que entre eles e nós, a diferença não é tão grande, pelo menos não perspectiva lógica ocupacional e política. Mais vale o interesse individual. No filme, esse quesito não chega muito a ser elaborado, embora algumas frases de efeito causem uma sensação reflexiva sobre o telespectador, frases essas, que são retiradas do próprio livro.

Mas sabemos que a direção foca, claro, em adolescente, querendo bilheteria, e tratar de temáticas tão mais aprofundas, sobre o ponto de vista hollywoodiano, pode não render tanto dinheiro. Uma pena.

Em quesito interpretação, Moretz não peca. A nova queridinha da América, nós apresenta sua personagem de forma autêntica, atrativa e cativa o telespectador mesmo não entrando em grandes cenas ou mostrando grandes combates. Estamos de fato falando de uma menina normal que teve sua realidade transformada, não em uma guerreira. A atriz não só transparece a agonia da personagem, como também consegue passar emoção a quem se aventurar a ver.


Roe por outro lado, e outros personagens, que ficam ofuscados pelo brilho de Moretz, não tiveram uma desenvoltura tão aprimorada. O personagem dele chega a ser, a certo ponto, meio chato ou perdido, e mesmo que se esforce para passar um clima meio doentio de sua parte, não foi mais que mediana sua apresentação. Todavia, apesar de tudo, o casal mostrou quimica e promete encantar os público apaixonado do filme.



Em quesito efeito o filme não peca, tendo sido adequadamente produzido. Além disso, sendo o longa baseado na obra do autor Rick Yancey, fidelidade, aos fãs do livro, é algo que não dá pra negar. Existem sim diferenças, relevantes, mas em grande parte, o filme, em seu núcleo central, segue realmente a obra original, tendo até a mesma ordem cronológica já exposta pelo autor nas folhas de seu livro. 

A Quinta Onda é mais uma franquia adolescente que provavelmente vai agradar aos fãs de Divergente, Jogos Vorazes ou Maze Runner. A mim, ela pareceu extremamente promissora em seu futuro cinematográfico. E apesar do ofuscamento dos personagens secundários, o longa me ganho a cada instante. Mesmo tendo uma temática batida, envolvendo universos distópicos, eu arranquei um certo destaque para filme não só pela maneira abordada da situação, como pelos personagens, que apesarem de não se mostrarem tanto, ganham seu carinho mesmo assim. Em um cenário devastado, garotas autênticas buscam a sobrevivência, envolvendo-se tanto romanticamente quanto por inteira em uma guerra interior e exterior.


3 comentários:

  1. Olá :)
    Louca pra assistir o filme, mas só vou assistir depois de ler o livro.

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Tumblr gir... \o/
    Mais uma vez temos opiniões bem parecidas.
    Você sabe que eu gostei bastante do livro, e o filme carregava grande responsabilidade.
    Superou minhas expectativas e quero logo uma sequência!
    Adorei o post! ;)

    Até mais,
    http://entreserieselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi David, tudo bem?
    Eu achei esse filme maravilhoso, sério muito bom mesmo.
    Ele está muito fiel ao livro e isso é um ótimo ponto, mas a história em si já é bem instigante. Espero que o livro dê muitos lucros para o Mar Infinito chegar logo nas telonas, e se possível tão fiel quanto o primeiro.

    Italo Teixeira - Eu li, e voce?
    http://ler-e-ser-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Expresse-se