Resenha #309 - Mentirosos!






Título: Mentirosos
AutorE. Lockhart
Editora: Seguinte
Ano2014
Especificações: Brochura |272 páginas
ISBN9788565765480
 Sinopse
Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos.
Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.



**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




Cresça... Veja o mundo como ele é, não como você queria que fosse.”

Cadence é tudo que qualquer adolescente gostaria de ser: rica, bonita e totalmente popular. Desde muito cedo, sua vida sempre foi as mil maravilhas. Não é atoa, claro. Sua família, os Sinclair são renomados, orgulhosos e extremamente persuasivos. Mas ela, pessoalmente, nunca deu muita atenção a tantos bens materiais. Nada poderia substituir os verões incríveis e divertidos que passava na ilha particular da família, entretendo-se com seus primos Johnny Mirren, e o diferente Gat.

Gat por sua vez não faz parte da família, mas pertence a eles. Tendo ido passar um verão com os Sinclair ainda criança, o garoto começou a conviver com essa rica família a todos os verões, e a amizade duradoura que começou com Cadence logo na infância, evoluiu, anos depois, para algo maior. Mas seriam suas convicções e vícios pessoais suficientemente fortes para lidar com a genialidade do patriarca da família? Cadence acha que sim. Entretanto, sua vida deu um salto enorme após o verão de seus quinze anos, quando sofreu um trágico acidente que afetou sua memória. Desde então ela não passa mais os verões com seus Mentirosos, e menos ainda com sua família. O que poderia ter acontecido para afastá-los tanto? Dois anos depois da tragédia ela retorna a ilha, mas tudo está diferente, confuso. E agora, Candy não sabe se reconhece mais o lugar que antes tanto amou.

Mentirosos é um misto de doçura, tensão, medo e choque. O livro que tantos falaram em 2015 abriu meu 2016 quebrando qualquer estrutura psicologicamente forte que eu tenha pensado em formar. A forma da escrita de Lockhart, as reviravoltas de sua trama e o desfecho são garantias inesgotáveis de gerar no leitor uma empatia e ao menos tempo uma revolta. Mentirosos foi exatamente isto: uma leitura recheada de altas emoções.

A dor não dura para sempre.”
Não estou falando de destino. Não acredito em destino, almas gêmeas ou sobrenatural. Só sei que entendíamos um ao outro. Completamente.”

Narrado em primeira pessoa, mergulharemos o mais profundamente sobre a visão de Cadence, nossa protagonista. Sua narrativa é fluída, rápida e extremamente envolvente. E. Lockhart não só teve a genialidade de originar uma personagem autêntica, forte e engraçada, como também deu todo um toque romantizado até mesmo nos momentos mais tensos e tristes da trama. O leitor se vê embriagado pelo mistério do livro e não consegue largar até que suas páginas estejam finalizadas. A autora trabalhou bem não só a estruturação de seus personagens dentro da trama, como também soube interligar as duas linhas temporais que a obra trás, sem deixar falhas ou ofuscar uma mais do que a outra. Embora Candy narre o livro todo, você se pega cativado pelos outros personagens, compartilhando de sentimentos que vão de um amor profundo, a um ódio fulminante.

Me encantei pela sua protagonista. Para mim, ela cumpriu bem ao papel e não deixou nenhum outro personagem roubar sua cena, como geralmente acontece em livros YA, quando às vezes, secundários se sobressaem mais que seus respectivos narradores. No romance de Lockhart isso não aconteceu. Temos não só uma visibilidade incrível de todos os integrantes do conjunto da trama, como também não parecemos perder um só detalhe, embora a visão do livro seja restrita. Cadence explora os pontos chaves, desde o passado, ao futuro, sabendo envolver o leitor em suas palavras; sua trajetória, e acreditem, ao fim, você vai desmoronar junto ela. Ignorem qualquer outro comentário que diga o contrário: o final de Mentirosos é chocante, seja positivamente ou negativamente. Sua trama é triste, verdadeira e crua, e a autora não poupa os leitores dessa experiência, fazendo-nos vivenciar todas as sensações possíveis.

Outro personagem extremamente atraente é Gat. Além de ser considerado o nosso "divergente" da história, ele também cativa o leitor não só pelas piadas divertidas, como pelo seu jeito ora culto demais, ora despojado demais, sempre alternando, como se convivesse lutando com sua própria personalidade. Desta forma, os quatro personagens centrais, ele, CandyJohnny e Mirren irão cativar você, seja nos diálogos, seja no pensamento crítico de mundo que apresentam.

Em quesito edição a obra não poderia estar mais perfeita. Mentirosos tem uma ótima diagramação, revisão e um acabamento lindo, alavancando para a Editora Seguinte muitos vivas pelo capricho. Além de ser um livro devastadoramente emotivo, E. Lockhart garante envolvimento do começo ao fim, em uma trama bonita e inteligente. 



E. Lockhar descobriu que queria se escritora aos oito anos de idade. Na terceira série, escreveu duas novelas literárias. Ela possui doutorado na Universidade de Columbia de Língua Inglesa com foco em Literatura Inglesa do Séc. XIX e História de Ilustrações de Livros Ingleses. De acordo com seu site, E. Lockhart gosta de museus de cera e gostava de Montanhas-Russas, mas agora tem medo delas. Também era a digitadora mais rápida das aulas de datilografia da 8ª Série, onde aprendia em máquinas de escrever manuais.
Atualmente, seus livros são traduzidos para mais de dez idiomas.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se