Coluna: Vamos Falar Sobre... #7!




Chegou a hora de finalmente comentar SIMPLESMENTE O ARCO MAIS FODÁSTICO QUE O ANIME JÁ TEVE. Fairy Tail cresceu mais e mais no decorrer das temporadas, e nessa, o crescimento fica evidente. Vindo de uma cronologia que já mostrava esse crescimento, foi instigante e inteiramente apaixonante, visualizar cada episódio. Difícil mesmo era esperar uma semana inteira para isso.

No penúltimo arco intitulado "Tártaros", que se finalizou em janeiro deste ano, vemos um amadurecimento não só da própria trama, como de seus personagens, reservando momentos de adrenalina e muita emoção.





Sinopse: Nessa nova aventura, Natsu e seus amigos, Lucy, Wendy, Gray, Erza, Happy e Charlie vão em uma misteriosa missão em busca de salvar um vilarejo de gigantes que foi congelado por uma poderosa magia. Com a ajuda de um poderoso mago, de ligação direta com sua guilda, eles fazem descobertas arrebatadoras que podem vir a destruir o mundo que tanto prezam. A mais poderosa guilda das sombras, Tártaros, está movimento suas peças no jogo. Eles atacam o conselho mágico, e começam a matar todos os regentes com um único objetivo: ativar o projeto face. O que ser isso? Apenas a bomba anti magia mais poderosa, capaz de aniquilar com todas as partículas místicas do continente e tornar todos os humanos magos e meros mortais. 
Sabendo deste perigoso plano, os demônios vão a caça. A Fairy Tail se divide em times para proteger os membros vivos do conselho. E é neste contexto que a verdadeira ação começa. Tomado por combates que envolve a sobrevivência de todos, os magos lutam com todas a suas forças para deter os planos dos demônios. Mas um inesperado ataque, que quase aniquila um importante membro da guilda pode virar essa briga em uma verdadeira guerra. Natsu quer revanche. A Tártaro não sabe que comprou uma guerra perigosa. Assim como a Fairy Tail não sabe com que forças realmente estão lidando. Entre luz e sombras, a ligação pode ser mais mínima do que eles poderiam imaginar.


Enredo: 


Simplesmente fantástico. Se o autor merecia umas palmadas nas costas antes, agora então, vai ser relembrado. Desde o desenvolvimento do manga neste arco (que é muito mais brutal que no anime), quanto na performance do anime, que mesmo um tanto censurado, não deixou de passar muita emoção ao telespectador. Na realidade, eu já esperava essa visão tão positiva. Fairy Tail: Arco Tártaros foi tudo e mais um pouco. Aqui a trama não só realmente ganha uma sequencia perfeita com todos as outras temporadas que aconteceram antes, como também promete reviravoltas retumbantes para todos os telespectadores. Lutas inesquecíveis, momentos de corta coração, são episódios e mais episódios de pura agonia, tornando novamente, o pior simplesmente o fato de aguardar o episódio semanalmente. São ao total 40 episódios que não decaem um só segundo em sua qualidade. Pelo contrário, eles vão ficando melhores. 

Personagens:


A exploração que toda a produção deu não só para personagens em particular (como Gray e Lucy) como também para a trama central da Fairy Tail foi incrível. O autor aprofunda não só os laços que Lucy tem com sua magia, como também explora uma batalha mais sentimental entre Gray e o personagem Silver. Em termo estrutura de personagem, o enredo novamente não falha e a produção arrasa o telespectador com uma carga emocional gigantesca. 



O legal do arco foi que até os personagens mais secundários como Wendy, Gajeel e Juvia, ganharam destaques, não só tendo suas batalhas individuais, como também pela expressão sentimental que essas cenas deles adquiriram de ligação com a trama central. Visualizamos uma nova face de todos, e depois de tantas perdas e vitórias, derrotando um inimigo extremamente poderoso, fica evidentemente claro que tudo irá mudar mais a frente. Você sofre por antecipação o novo arco que em breve começará. 

Desta forma, o arco Tártaros gerou não só um crescimento individual, mas mútuo, de todos os personagens; mostrando suas melhores e piores qualidades.



Traço:


Sou muito suspeito a falar sobre o traço do autor. Quando o anime retornou de seu "GRANDE" hiatus em 2015, achei perfeita a nova linha do desenho. Agora então, esse traço só melhorou, e não só traço dos personagens, como também todo o cenário. A seleção de elementos constituidores da trama ficou incrível, não só no conceito geral de qualidade, quanto na implementação dos efeitos visuais. Plano de fundo, figuração, efeitos, trilha sonora, tudo. Esse foi um dos arcos que garantiram as melhores opeding que o anime já teve, e não só pelas cenas que elas retratam, como também pelas músicas e letras.

Outro importante aspecto que o autor acrescentou neste retorno do ano, foi que, durante a pausa dos episódios, apareciam esboços dos personagens, tanto os heróis, quanto os vilões. Ficou incrível ele mostrar o trabalho ainda nem finalizado, incluindo a montagem dos cenários e demonstrando como tudo realmente começa.


Já é evidente minha pontuação final para o arco não é? Fairy Tail é um dos meus animes favoritos no momento, não só pela criatividade magnifica do autor em originar um mundo fascinante, como também pela capacidade que ele tem de dá personalidade aos seus personagens, mesmo sem explorar muito de sua história individual. Ao telespectador fica mais parecendo que aquele personagem sempre foi assim, atrativo. Desde o prólogo da temporada já fica claro a qualidade que se apresentará no clímax do enredo. Aberturas eletrizantes, momentos de chocar seu coração e batalhas inesquecíveis, este são fatos que tornaram este arco do anime tão, MAS TÃO, PERFEITO.


NOTA FINAL


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se