Coluna: Vamos Falar Sobre... #8!





No final de 2015, atingindo o começo de 2016, acompanhamos a tão aguardada segunda temporada de Noragami, um dos animes que mais badalou o Oscar Literário em 2012.

Em Noragami Aragoto chegamos a um novo patamar do enredo com muitas revelações, e provavelmente, a apresentação do verdadeiro vilão central da trama. Venha garantir ação e entretenimento com uma ótima aposta de anime para as férias ou um fim de semana de tranquilidade.





Sinopse: Depois de passar por perigosos eventos, o deus menor, Yato, retorna em sua segunda temporada, com intuito de proteger aqueles que ama, mas sua antiga ligação e rixa com a deusa da guerra, Bishamon pode levar a novas e tenebrosas aventuras. Um novo plano começa a cercar todos aqueles que ele ama, e a vida de Hiyori pode estar novamente na mira de inimigos desconhecidos. O passado antes abandonado por Yato revira seu futuro, e para conseguir finalmente realizar seus desejos, precisa desfazer das amarras que ficaram prendendo-o até o momento. Que implicações pode ter a amizade entre um deus e um humano? Até onde o conceito de "deus" se adequada? Quais barreiras ele pode ou não pode romper? Uma sombria artimanha se forma no palácio de Bishamon e a batalha que Yato tanto tentou evitar pode estar finalmente a ponto de acontecer.




Enredo: 


Noragami Aragoto foi a segunda temporada que eu tanto esperei e não me decepcionei. Embora sua vibe não tenha chegado nem perto da primeira temporada (que foi muito mais emocionante), percebi que o foco nessa season dois não foi os dramas atuais dos personagens, mas sim explorar mais do passado de Yato e todo o lado sombrio que o cerca. Centralizando não só a relação dele com outros deuses (coisa que tinha ficado bem ambíguo na primeira temporada), Noragami Aragoto também trás a visão do personagem sobre si mesmo. O deus enfrenta diversos desafios, e em sua grande maioria, isso mexe com seu psicológico e faz ele reviver lembranças de um passado que tentou esquecer. E embora a produção tenha deixado no ar, ao último episódio, um possível gancho para a terceira temporada, perguntas ainda ficaram sem respostas, e necessariamente precisaremos delas. 

O importante a se frisar sobre o enredo é que de fato está bem estruturado e não deixa falhas. Sendo o anime adaptação do já conhecido mangá, é claro, aos fãs, que haverá uma terceira temporada (ainda sem confirmação ou sem data para acontecer, provavelmente em 2017, se seguir o mesmo modelo desta). Pelo menos neste aspecto, não a qualquer reclamação a se fazer.


Personagens:


Em quesito personagem, a direção também não pecou. Como falei, a primeira temporada não explora muito sobre o próprio Yato. Nela temos uma visão mais detalhada sobre seu companheiro, Yukine, que passa boa parte da trama sofrendo de uma divisão de personalidade. Desta vez, a estrela do dia é Yato. Conheceremos não só um pouco mais de seu passado, como sua ligação com a deusa da guerra, Bishamon, e com a renegada Nora.



O mesmo pode se dizer de personagens mais secundários, como o companheiro de Bishamon, Kazuma, que destaca-se bastante nos episódios, embora seu drama não seja o central. Com bastante inteligência, o roteiro aderiu todos os personagens, sem focar muito em algum especificamente, abordando todos assim que possível.

Infelizmente, o ponto fraco desta temporada foi sem dúvidas a relação romântica entre Yato e Hiyori. Enquanto que na primeira temporada esse laço aparentava ser mera amizade, aqui os sentimentos foram bem mais fortes, e nesse sentido, a direção não soube explorar bem, já que os personagens contracenam muito mais separados do que juntos. Além disso, Yukine também foi bastante ofuscado durante o desenvolver na trama. Enquanto que antes ele era foco e um bom elemento nos episódios, aqui, em um primeiro momento ele se mostra, mas depois some, e ao fim, sua presença se torna insignificante. A direção quis mostrar um amadurecimento do personagem, mas isso acabou mudando muito de sua personalidade revoltada e gerou um atrito grande no personagem, tirando meu fascínio por ele, e transformando-o em um verdadeiro “chorão”. O fato é que teve muito sentimentalismo em um anime onde o foco maior deveria ser a ação.


Traço:



O traço por sua vez não evoluiu muito da primeira para a esta segunda temporada, mas também não tenho nada a enfatizar de negativo sobre ele. Gosto do detalhamento do anime, tanto em nível cenário, quanto em nível personagem, embora em algumas cenas esses traços se reflitam melhor e fiquem mais bonitos e realístico.


A abertura também ficou legal, só não superou, também, a da primeira temporada. Sua música, agitada como a anterior, cativa o telespectador, mas a letra não é tão eletrizante, e as cenas não descrevem os personagens como a primeira descrevia. Se houve realmente uma negativa nesta segunda temporada foi o fato que a essência dos personagens se perdeu um pouco, e eles mudaram muito, sendo que infelizmente, não havia plano de fundo para tal mudança.

Entretanto, mesmo com tantas mudanças, Noragami Aragoto é uma boa diversão. Com 12 episódios e um ova (curta), o longa ganhou título de uma das melhores apostas em animes de 2015 sem dúvidas. Infelizmente só não superou sua primeira temporada, muito mais eletrizante e emocionante e com uma pegada menos clichê.


NOTA FINAL


Um comentário

  1. Não curto muito animes, David :( mas parece ser legal!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Se eu morrer antes de você", vem conferir!

    ResponderExcluir

Expresse-se