Resenha #321 - Princesa Mecânica (As Peças Infernais Vol 3)!








Título: Princesa Mecânica
ColeçãoAs Peças Infernais
AutorCassandra Clare
Editora: Galera Record
Ano2013
Especificações: Brochura | 434 páginas
ISBN 9788501092700
 Sinopse
Continuação de Príncipe mecânico, “Princesa Mecânica” é ambientado no universo dos Caçadores de sombras, também explorado na série Os Instrumentos mortais, que chega agora ao cinema. Neste volume, o mistério sobre Tessa Gray e o Magistrado continua. Mas enquanto luta para descobrir mais sobre o próprio passado, a moça se envolve cada vez mais num triângulo amoroso que pode trazer consequências nefastas para ela, seu noivo, seu verdadeiro amor e os habitantes do Submundo.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



A vida é um livro, e há mil páginas que ainda não li.

O desafio final para deter Morttman está prestes a começar. Tessa prepare-se para o embate final contra seu inimigo, ainda tentando entender suas raízes. Que ligações ela poderia ter com um homem tão cruel quanto ele? Que escolha tem, se continuar fugindo de seu destino?

Will Herondale finalmente se livrou de sua maldição, mas mesmo após tudo que passou para alcançar tal objetivo, não pode viver com a mulher que escolheu amar, justamente por ela está comprometida com seu parabatai, Jem. E novamente, ele não quer arriscar romper um laço tão importante por uma cosia tão mesquinha quanto o amor. Enquanto isso, Tessa continua dividida entre sua escolha. O Instituto está sob ameaça não só das perigosas criaturas do Magistrado, como também do Consul, que por não poder controlar a líder deste lar, quer tirá-la do posto a todo custo. Com as portas se fechando e os segredos sendo revelados, os Caçadores de Sombra se preparam para um brutal batalha em pró de proteger o mundo mortal novamente. Estariam eles prontos para enfrentar o destino?

Acho que quando fazemos escolhas, pois cada escolha independe de qualquer outra que tenhamos feito antes, precisamos examinar não só nossos motivos, mas as consequências que elas trarão e se boas pessoas vão se machucar com nossas decisões. Não se arrependa demais das escolhas que fez no passado. Apenas faça as certas no futuro. Somos capazes de mudar e sermos o melhor que podemos.

Com certeza, uma das melhores trilogias que li. As Peças Infernais foi uma aposta sem pretensão que me conquistou do começo ao fim. Narrado sobre uma perspectiva de terceira pessoa, o livro é recheado detalhes, descritos não só sob a visão da protagonista, Tessa, mas também de personagens mais secundários. E este nem é o mais atrativo na obra. Além de personagens cativantes, o clima clássico e de época, somam um cenário muito acolhedor a narrativa de Clare, que nesta trilogia em particular, evoluiu muito, não havendo o excesso de informações que a autora costuma escrever em suas obras. Princesa Mecânica é uma fantasia steampunk perfeita, com um ritmo emocionante e sufocante. Sob um plano de fundo meio revolução industrial, conheceremos uma Londres diferente, encantadora.

Você suporta o que é insuportável, e segue.

A obra é se não um apurado de personagens incríveis. Não existe maneira de se debruçar sob esse livro e não se cativar por todos os personagens nele existente. Desde os mais protagonistas, aos mais secundários, Clare faz o leitor se identificar com os personagens, se apegar a eles, e torcer pela sua vitória. Tessa que o diga. Suas características mais marcantes são justamente a bravura e a paixão pela leitura. Por toda a trilogia, veremos ela fazer referencia a diversos livros que leu, e que você provavelmente pode querer se aprofundar. Apesar de ser uma leitura best-seller, a obra tem um toque de clássico antigo, com toda aquele rebuscamento na escrita e nos eventos que nela se desenvolve.


O grande achado neste livro é sem dúvidas Gabriel, Sofia, Magnus Bane e Cecily. Além de reservarem sempre os momentos mais sábios deste volume, seus núcleos, apesar de extremamente secundário, acabam roubando a cena em diversos pontos da narrativa. Cecily e Gabriel são sem dúvidas o melhor casal, com a melhor construção. A dupla não só mostra uma verdadeira transição do segundo livro para o último, como também envolvem o leitor em um romance nada habitual, cercado de risadas e sarcasmos. Quando se aventurar nesta trilogia, o importante é lembrar que os personagens nele contidos, serão seu amorzinho eterno, tanto em nível de shipper, quanto em plano individual.

Princesa Mecânica ainda tem espaço para direcionar algumas críticas sociais em referência a visão da mulher na sociedade, e neste volume em questão, Clare trabalha um pouco mais a temática do relacionamento homoafetivo. Tais assuntos não poderiam ter elencado um lado ainda mais positivo para o livro. São críticas sutis, bem construídas e extremamente bem empregadas ao contexto histórico do qual o livro se baseia. Princesa Mecânica é justamente, o desfecho esperado, recheado de ação e romance, com a dose certa de drama, sem exagero ou escassez. Em um universo fantástico muito mais gótico e atrativo, As Peças Infernais é mais que uma indicação para sua leitura. Em uma edição, que apresenta a capa mais linda da trilogia (eu pelo menos acho), é a pedida certa para os fãs de fantasia.



Cassandra Clare nasceu em uma família americana no Teerã, Irã e passou grande parte de sua infância viajando pelo mundo com sua família, incluindo uma caminhada pelo Himalaia quando criança, que foi quando ela passou um mês vivendo na mochila de seu pai. Antes dos seus dez anos de idade ela morou na França, Inglaterra e Suíça. O fato de que sua família se mudava muito, ela encontrou familiaridade nos livros e estava sempre com um livro debaixo do braço. Ela passou seus anos de escola em Los Angeles, onde ela costumava escrever histórias para divertir seus colegas, incluindo um romance épico chamado "The Beautiful Cassandra", baseado na homônima história de Jane Austen.
Após a faculdade, Cassie viveu em Los Angeles e Nova York, onde trabalhou em várias revistas de entretenimento e até mesmo em alguns tablóides bastante suspeitos, onde ela relatou sobre a viagem ao mundo de Brad e Angelina e as avarias do guarda-roupa de Britney Spears. Ela começou a trabalhar no seu romance YA, Cidade dos Ossos, em 2004, inspirada na paisagem urbana de Manhattan, sua cidade favorita. Ela dedicou-se em tempo integral em sua ficção fantasia.
A primeira venda profissional de Cassie foi um conto chamado "The Girl’s Guide to Defeating the Dark Lord", em uma antologia Baen de fantasia humor. Cassie odeia trabalhar em casa sozinha, porque ela sempre se distrai por reality shows e as travessuras dos seus dois gatos, por isso ela geralmente se propõe a escrever em cafés e restaurantes locais. Ela gosta de trabalhar na companhia de seus amigos, que vêem que ela adere a seus prazos.
Atualmente, reside em uma antiga casa vitoriana em Nova Iorque com seu noivo, seus gatos, e lotes e lotes de livros. A triologia The Mortal Instruments tem sido citada em muitas listas de Best-Sellers




Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se