02 maio 2016

Resenha #49 - O Primeiro Último Beijo!






Título: O Primeiro Último Beijo
AutorAli Harris
Editora: Verus
Ano2016
Especificações: Brochura | 448 páginas
ISBN9788576864479
 Sinopse
“O primeiro último beijo” conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever…
Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode ser enlouquecedor e frustrante, mas também sublime. Na mesma tradição de P.S. Eu Te amo e Um Dia, O Primeiro Último Beijo vai fazer você suspirar e derramar lágrimas com a mesma intensidade.
Cortesia Editora Verus (Grupo Editorial Record)


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Neste livro vamos conhecer a historia de amor de Ryan e Molly, desenvolvendo a narrativa através de descrições dos beijos dados pelo casal ao decorrer do relacionamento, fazendo com que conheçamos os principais beijos e os acontecimentos.

Molly é uma menina que se acha feia, e diferente das outras de sua cidade e apaixonada por fotografias e filmes de romance, se sentindo excluída e sem amigos. Ryan, por outro lado, é o tipo de garoto atlético e atraente que chama a atenção de todas as meninas da cidade, mas ele não liga. Em seu pensamento, apenas uma é dona de tudo. Conquistá-la acaba se tornando um desafio que ele pretende superar. Estariam eles dispostos a colocar os paradigmas sociais de lado para viver este amor?

Uma linda historia com momentos bem marcantes que nos fazem pensar nossa vida e relacionamento; com instantes que trazem lagrimas aos olhos. Narrado em primeira pessoa, o leitor se vê apegado pela personagem Molly, compartilhando de suas dúvidas e suas decepções. Embora a ideia de O Primeiro Último Beijo seja bem clichê (aceitamos que é), o romance tem o seu charme, e para leitoras apaixonadas por história encantadoras e de plots simples, o livro é a pedida certa. Além da escrita de Ali Harris ser muito cativante, leve e gostosa de se apreciar, o livro não se torna cansativo instante algum, mesmo tendo que lidar com situações que parecem semelhante, enquanto o casal luta para ficar junto. A ideia da autora é justamente essa: transmiti a sensação de recordação da adolescência, lendo aqueles romancezinhos bobos de banca, onde sempre torcemos pelo final feliz. E embora eu não tenha achado a temática nada boba, alguns podem achar ao lerem a sinopse. O fato importante sobre este livro é justamente que a sinopse não fala dele em um todo. A trama de Harris é arrebatadora, emocionante, prometendo um desfecho chocante e emotivo, capaz de te levar as lágrimas.

Adorei a capa do livro. É linda e diz muito sobre o mesmo, e a Editora Verus está de parabéns. Se houve algo que me chateou durante a leitura foi justamente os muitos erros de digitação nesta edição. Espero que seja corrigido nas próximas. Tirando isso, a diagramação está tão linda quanto a capa.

O Primeiro Último Beijo é uma boa historia, mas não vai para a lista dos preferidos, infelizmente. Adorei a ideia, mas senti falta de uma maior reflexão ou aprofundamento sobre os sentimentos do casal. O romance realmente me tocou, mas não sei dizer ao certo o que mais gostaria. Para mim, faltou o "estalo final". Por isso, vou classificar com quatro estrelas. Indico a leitura para todos que adoram uma linda historia de amor, pois amor é o que não falta nesta obra.



Ali é uma jornalista da revista, tendo trabalhado a mais de dez anos neste ramo. Ela cresceu em profunda escuridão em Norfolk, onde passou seus anos de formação sonhando com as luzes brilhantes da cidade grande. Aos 18 anos, ela trocou ovelhas para mostrar músicas e mudou-se para Londres para fazer licenciatura em artes cênicas. Após três anos de 'estudar' (leia-se: fazendo mãos do jazz) ela se tornou.... uma garçonete. No seu tempo livre ela começou a escrever um livro ( uma garçonete frustrado, é claro) e logo percebeu que a escrita era sua verdadeira paixão. 
Depois de muitas cartas de rejeição ela decidiu que ser paga para escrever seria o passo certo em sua vida. Um estágio em uma revista de estilo de celebridade mais tarde, foi onde ela encontrou seu lar espiritual. Cercado por roupas, sapatos e fofocas de celebridades, ela se jogou em sua nova carreira e estava em êxtase.


Um comentário:

  1. Concordo com você, é uma história bonita, me fez chorar que nem boba, mas parece que faltou algo. Acho que foi por conta do final. Querendo ou não, é uma realidade. Quando os autores querem balançar nossas estruturas, eles apostam sempre em doença, e por isso já imaginava o que ia acontecer desde o começo. Fora a ordem cronológica que no meu ponto de vista pecou muito :(

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Expresse-se