21 junho 2016

Resenha #60 - O Caderninho de Desafios de Dash e Lily!





Título: O Caderninho de Desafios de Dash e Lily
AutorDavid Levithan, Rachel Cohn
Editora: Galera Record
Ano2016
Especificações: Brochura | 256 páginas
ISBN 9788501105158
 Sinopse 
O novo livro de David Levithan e Rachel Cohn que juntos escreveram Nick e Nora Uma noite de amor e música acompanha a dupla Lily e Dash. Ela está doida pra se apaixonar e, pra encontrar o par perfeito, decide criar um caderninho cheio de tarefas e deixá-lo na livraria mais caótica de Manhattan. Quem encontra o moleskine é Dash, e os dois começam a se corresponder e trocar sonhos, desafios e desejos no caderninho, que vai se perdendo nos mais diversos lugares de Nova York.
Cortesia Editora Galera Record (Grupo Editorial Record)


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


“Me disseram que não da pra voltar atrás. Então escolhi seguir em frente.”

Cômico, irreverente e poético, "O Caderninho de Desafios de Dash e Lily" é uma leitura fofa, leve e muito prazerosa de se fazer, proporcionando ao fim uma sensação gostosa de completude e sentimentalismo, tomado por muitas gargalhadas e referências.

Em mais uma parceria bombástica entre David Levithan Rachel Cohn, dessa vez iremos conhecer a história de Dash Lily, dois jovens completamente diferentes e completamente parecidos, que vão se conhecendo aos poucos através de um evento que começou como uma espécie de desafio/brincadeira.

“Acreditamos nas coisas erradas. É isso o que mais me frustra. Não a falta de crença, mas a crença nas coisas erradas. Você quer sentido? Os sentidos estão por ai, Mas somos bons demais em lê-los da forma errada. Isso não será explicado para você em uma oração. E não vou poder explicar isso para você. Não só porque sou ignorante e esperançoso e seletivamente cego quanto qualquer pessoa, mas porque acho que sentido é uma coisa que não pode ser explicada. Você precisa entender sozinha. É como quando você começa a ler. Primeiro aprende as letras. Depois, quando sabe que sonos as letras fazem, os usa para descobrir o som das palavras. Você sabe que g-a-t-o leva a gato e c-ã-o leva a cão. Mas ai você precisa dar o salto adicional para enteder que a aplavra, o som, o “gato” está ligado a um gato de verdade, e que “cão” está ligado a um cão de verdade. É esse salto, essa compreensão, que leva ao sentido. E em boa parte do tempo na vida, ainda estamos apenas descobrindo o som das coisas. Conhecemos as frases e como dizê-las. Conhecemos as ideias e como apresentá-las. Conhecemos as orações e que palavras dizer em que ordem. Mas isso é apenas ortografia. Não é minha intenção que isso pareça desesperançoso. Porque da mesma forma que uma criança consegue entender o que “g-a-t-o” quer dizer, acho que conseguimos encontrar as verdades que vivem por trás de nossas palavras. Gostaria de lembrar-me do momento quando, criança, descobri que as letras se uniam em palavras, e que as palavras, se ligavam a coisas de verdade. Que revelação deve ter sido. Não temos palavras para isso, pois não tínhamos aprendido palavras ainda. Deve ter sido surpreendente receber a chave do reino e vê-la girar em nossas mãos com tanta facilidade.

Lily tem 16 anos, é recatada, tímida e muito pouco sociável, razão que leva seu irmão, Langston, junto com seu namorado, a empurrar para a menina um desafio de encontrar um namorado. Famosa por passar horas e mais horas na biblioteca, Lily acaba aceitando o desafio do irmão e deixa um Moleskine vermelho sobre as prateleiras, para que caso algum leitor se sinta atraído em conhecê-la, resolva os enigmas impostos por ela. Dessa forma, quem acaba entrando na brincadeira é Dash, um cara meio antissocial, que detesta o natal e está disposto a finalmente seguir em frente em um relacionamento a dois. Só que seus planos de ter dias tranquilos estão longe de se concretizar. Conforme embarca nos desafios de Lily, mais sua vida vai se guiando por caminhos que ele jurou não pisar, e o mesmo acontece com ela. Lily começa a fazer coisas que normalmente não faria, tudo em prol de descobrir quem é seu correspondente e se suas chances com Dash são verdadeiras ou apenas uma ilusão. De um véspera de festa para as noites de inverno, você será guiado por essa encantadora história de amor, nada romântica.

“Estou tendo dificuldade para entender no que devo acreditar, e mesmo se devo acreditar. Há informações demais, e não gosto da maior parte delas. Mesmo assim, por algum motivo que toda evidência científica deveria tornar impossível, sinto que realmente tenho esperança. Tenho esperança de que o aquecimento global acabe. De que as pessoas não fiquem sem teto. Tenho esperança de que o sofrimento não exista. Quero acreditar que minha esperança não é em vão. Quero acreditar que, apesar de ter esperança em relação a coisas tão magnânimas, não sou uma pessoa ruim só porque aquilo em que realmente quero acreditar é puramente egoísta. Quero acreditar que existe alguém por ai só para mim. Quero acreditar que existo para estar aqui para esse alguém.
“Você acha que contos de fadas são coisa de menina? Uma dica: pergunte a si mesmo que os escreveu. Garanto que não foram só mulheres. É a grande fantasia masculina: só é preciso uma dança para saber que é ela. Só é preciso o som da música dela vindo da torre, ou uma olhada em seu rosto adormecido. E na mesma hora você sabe: é a garota da sua cabeça, dormindo ou dançando ou cantando à sua frente. Sim, garotas querem príncipes, mas garotos também querem princesas.

Narrado em primeira pessoa, a obra divide sua narrativa sob os pontos de visões de Lily e Dash, sendo separada em dias. Ao todo, os já conhecido autores que trabalharam juntos em "Nick e Nora" (livro que ainda não li, mas quero) e "Naomi e Ely e a Lista do Não Beijo" (esse tem resenha aqui) são fantásticos. Com uma narrativa muito viciante, a linguagem usada tanto por Levithan quanto por Cohn não é tão vulgar e simplista, nem tão complexa. Pelo contrário, eles mediam bem entre os dois tipos, sabendo não só fazer referências a diversos outros grandes autores, como também críticas. A certo ponto da história, a obra mais parece um reconto bem diferente da história da "Cinderela", e isso não é imposto de forma implícita, pelo contrário, os próprios personagens comentam o fato, o que torna tudo ainda mais legal. A ideia pelo jeito foi ironizar diversos acontecimentos de contos de fadas, desde as datas comemorativas, como também na própria personalidade dos personagens (Lily por exemplo é muito recatada e quieta como a Cinderella). Com um romance tocante e muito envolvente a história desses dois personagens vai te ganhando mais e mais a cada página.

 
 

“Quando as pessoas dizem pessoa certa, hora errada ou pessoa errada, hora certa, normalmente é pura desculpa. Elas acham que o destino está brincando com elas. Que somos todos apenas participantes desse reality show romântico que Deus se diverte assistindo. Mas o universo não decide o que é certo e o que não é. Você é quem decidi.

A construção de ambos os protagonistas está incrível. Eu pessoalmente amei tanto a Lily quanto o Dash, me identificando muito com diversas características dos dois. Enquanto Lily é a mocinha recatada, sempre visivelmente quieta, que em certo momento, só quer arriscar mais e deixar sua zona de conforto, Dash se torna o perigo, o vulgar, o diferente, sendo ele na realidade alguém solitário, traumatizado e muito romântico. Os personagens agem um para o outro como uma espécie de completude. E o ato de estarem sempre se comunicando através de citações de livros, ou passeando em livrarias, torna esse aspecto de identificação ainda mais forte para os compulsivos leitores como eu.

Além disso, Levithan e Cohn reuniram uma boa equipe de coadjuvantes. Desde os mais velhos como a Tia Bail, uma senhora encantadora; aos mais novos como BoomerSofia e Langston. Todos são muito atraentes como personagens, mostrando suas próprias personalidades enquanto a trama vai se desenrolando. Eles filosofam de maneira até simplória sobre amor, liberdade, romance, futuro, trazendo uma carga emotiva muito grande, e dando as palavras um peso gigantesco. E assim como em outros livro de Levithan, a temática da homossexualidade também é bastante abordada, sempre de maneira engraçada e muito refletiva (no enredo, Langston, irmão de Lily, é gay).


A primeira vista pode até parecer apenas mais um chick-lit temático, tratando de um romance natalino. Mas não se deixe enganar. "O Caderninho de Desafios de Dash e Lily" é uma pedida mais que perfeita para os amantes incorrigíveis, repleto de palavras profundas que devem tocar e permanecer com você por muito depois. Recheado de quotes marcantes, esteja preparado para refletir sobre o amor sob suas mais variadas maneiras e da forma mais irreverente possível, com dois personagens únicos e marcantes.



A verdade é que as coisas mais interessantes na minha vida tende a emanar de minha imaginação e, em seguida, aparecem nos livros - a vida real, nem tanto. Mas no interesse de Ye Olde Book Report, aqui é a informação básica.
Nasci em 14 de dezembro de 1968 em Silver Spring, Maryland. Eu cresci na área de DC (Maryland suburbano), mas também passou os verões da minha infância em Massachusetts ocidental com os meus avós, então eu meio que sinto que estou a partir de dois lugares.
A partir do momento que eu aprendi a ler e escrever que eu estava sempre tentando criar histórias. Eu cresci cercado por livros e pela família que eram educadores - o desejo eo incentivo para escrever veio rapidamente em minha casa.




David Levithan (nascido em 07 de setembro de 1972, Short Hills, New Jersey) é um editor de ficção gay jovem americano adulto e autor premiado. Ele teve seu primeiro livro, Boy Meets Boy, publicado em 2003. Ele tem escrito inúmeras obras com personagens gays do sexo masculino, principalmente Boy Meets Boy e Nick and Norah's Infinite Playlist. Aos 19 anos, Levithan recebeu um estágio na Scholastic Corporation, onde começou a trabalhar na série The Baby-sitters Club. Dezessete anos depois, Levithan ainda está trabalhando para Scholastic como diretor editorial. Levithan é também o editor-fundador do PUSH, uma marca jovem-adulto da Scholastic Press enfocando novas vozes e novos autores.





19 comentários:

  1. Oi David, esse livro é muito amorzinho,ainda mais com esse clima natalino. Adorei sua resenha,,especialmente porque você conseguiu retratar bem o que eu mesma senti com essa leitura.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Eu sou louca para ler esse livro e acho que ele vai me agradar muito, mesmo parecendo ser só mais um chick-lit eu já adoraria por que amo esse gênero, mas depois de ler suas considerações finais, eu confesso que fiquei ainda mais curiosa. Ah, adorei as fotos <3

    ResponderExcluir
  3. É muito bacana esse pequeno"resumo" que voce faz dos autores no final, de verdade, é o primeiro blog que vejo que faz isso e é um diferencial que só traz mais informação.
    David é um autor muito bom, sempre abordando bons temas e tratando eles da melhor maneira possivel, me identifiquei muito com Lily e sei que nao serei a unica, é otimo quando nos vemos representados em uma obra. Linda resenha <3

    ResponderExcluir
  4. Olá David,
    Adorei sua resenha, está incrível.
    É engraçado, pois, até hoje, li apenas elogios sobre esse livro e isso me anima demais, sabe? Não acho que esse livro seja apenas mais um chick-lit, acho que ele vai além, principalmente, na construção dos personagens, que parece ser tão incrível.
    Outro ponto bacana são os personagens coadjuvantes, muitos autores deixam eles de lado, mas os autores deste livro parecem ter feito isso muito bem.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bru!
      Obrigado querida ^^ Que bom que gostou
      Também adoro chick-lit. Na verdade, é um dos meus gêneros favoritos. Tão gostoso de passar o tempo. Mas de fato esse livro vai alem. Ele tem uma reflexão tão legal sobre o AMOR. :)

      Abraços
      https://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?
    Já estou loca para ler este livro desde que foi apresentado no Mochilão da Record e sua resenha só reforçou que preciso lê-lo o mais rápido possível! Ainda bem que já tenho ele em casa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Eu particularmente ainda não tinha visto nenhuma resenha sobre essa obra, mas já tinha visto o livro em vários BooksHauls por aê. Também deixei passar despercebido uma cosia bem importante rsrs. Que foi o autor, não tinha notado que tinha o David rsrs, gostei de Will and Will e espero poder ler essa obra em breve. Até mais
    Abcs

    ResponderExcluir
  7. Olá, ótima resenha!
    Esse é um livro que chamou minha atenção pela capa, e conforme fui lendo resenhas dele, a história também passou a chamar a minha atenção pelo perfil dos personagens e pela ideia de se conhecerem e relacionarem através de desafios em um caderno. Certamente lerei quando puder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari!
      Sim, a capa é linda realmente.
      Quando ler se quiser debater :)

      Abraços
      https://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

      Excluir
  8. Oi David!

    Estou me sentindo uma pessoa abençoada por ter lido a sua resenha. Deus, estou aqui dando pulinhos de vontade de ler esse livro. Você tinha que ver isso. HAHAAHA'
    Acredita que ainda não li nada do Levithan? Pode brincar comigo. :/ Nunca apareceu uma oportunidade, até agora. Eu tenho visto muito esse livro nas livrarias que frequento, mas ainda não havia lido nada mais profundo sobre ele, mas depois de ler essa matéria, estou completamente apaixonada pelo enredo. Você descreveu tão bem que estou aqui me segurando para não sair de casa e entrar na primeira livraria e comprar esse livro. Preciso muito conhecer esses personagens e o desenrolar dessa história.

    Super, hiper, ultra obrigada pela dica.
    Abraço
    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ingrid!
      Ahh que bom amore que gostou tanto da dica!
      Leia sim, é um livro muito, mas muito bom. Como disse, são protagonistas que você não tem como não gostar *-*

      Abraços
      https://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

      Excluir
  9. Oiee ^^
    Eu também estou doida para ler "Nick & Nora", lembro de ter visto o filme com a minha irmã e gostado bastante. Como eu AMO o David Levithan e tudo o que ele escreve, minhas expectativas para este livro eram muito grandes, e, infelizmente, ele não conseguiu alcançá-las. O início me pareceu um pouco arrastado, e achei a Lily um pouquiiinho irritante. Mas, tirando isso, o livro é lindo ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Heey David, como vai? Menino, sua resenha ficou maravilhosa. Eu adooooro o Levithan, e os 3 livros que já li dele foram incríveis, em especial Todo Dia, que é um favorito. Desde o lançamento de Lily & Dash fiquei maluca para ler, porém ainda não tive a oportunidade! Eu gosto bastante do gênero e da premissa, então é certo que irei gostar; agora só me resta ler! hehehe
    Beijão!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bom?

    Esse livro já está na minha lista de próximas leituras. Eu adoro a escrita dos autores, principalmente depois que li Naomi & Ely (sempre recomendo), espero que eu goste bastante desse livro também.

    Abraços,
    http://perdidoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel
      Eu li Naomi e Ely e confesso que não gostei muito. Tem resenha aqui no blog e tudo. Achei a Naomi muito chata, e o livro não me transmitiu tanto sentimento, então :( Mas que bom que gostou. E dê uma chance a esse. Achei ainda melhor.

      Abraços

      Excluir
  12. Oi, David!
    Ah, estou lendo esse livro! Ainda nos primeiros capítulos, mas a narrativa e escrita é tão ágil e prazerosa que não dá vontade de largar. Espero amar muito a história porque só vejo elogios aos autores. Adorei sua resenha! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  13. Olá David!
    Ainda não li nenhuma obra dos dois autores, mas desde que esse livro lançou aqui no Brasil, fiquei muito ansiosa para lê-lo. Saber que os personagens são incríveis e tem atitudes inversas e que esse livro se passa no Natal, mas é um livro indicado para os românticos só me deixa ainda mais empolgada para a leitura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Tem tanta gente falando tão bem desse livro que eu tô mega ansiosa pela leitura. Além dessa capa linda, o livro parece ser bem amorzinho. Ainda não tive nenhuma experiência com a escrita do autor, mas o David só recebe elogios. Sinto que vou me identificar muito com a Lily.
    Amei a resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  15. Uma coisa que me chama atenção para a história desse livro é a maneira como tudo começa, ou melhor dizendo, a maneira como a relação dos protagonistas começam a se desenvolver. É diferente e me agrada. As diferenças de personalidades entre os principais também é algo que deve dar um ar ainda mais especial à trama, sem falar nos outros personagens, que parecem ser bastante carismáticos. Enfim, acredito que os autores entregaram uma história simples mais simplesmente encantadora.
    Espero um dia ter a oportunidade de ler.

    Beijos
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir

Expresse-se