Cinema #129 - Angry Birds: O Filme!





Título: Angry Birds: O Filme
Gênero: Animação
Direção: Clay Kaytis, Fergal Reilly
Elenco: Anthony J Sacco, Bill Hader, Cristela Alonzo, Danielle Brooks, Danny McBride, Geoffrey Arend, Hannibal Buress, Ike Barinholtz, Jason Sudeikis, Jillian Bell, Josh Gad, Kate McKinnon, Keegan-Michael Key, Max Charles, Maya Rudolph, Peter Dinklage, Sean Penn, Tituss Burgess, Tony Hale
Roteiro: Jon Vitti
Produção: Catherine Winder, John Cohen
Duração: 90 min.
EstúdioSony Pictures
 Sinopse
Adaptação do jogo de sucesso Angry Birds, o filme acompanha a história de Red, pássaro com problemas para controlar seu estresse, o veloz Chuck e o volátil Bomba, amigos que nunca tiveram seus valores reconhecidos. Depois que misteriosos porquinhos verdes invadem a ilha onde moram, o grupo será responsável por descobrir qual o plano da gangue suína.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



Saltados diretamente dos celulares, os pássaros mais famosos atualmente, se jogam de cabeça nas telonas e conseguem conquistar certo público, embora a animação da Sony, em parceria com Rovio Entertainment não tenha sido uma das minhas favoritas, e ao menos, vá para a lista do ano. Na verdade, o filme em si é muito mediano. Devido ao jogo ter um propósito (derrotar os porcos) e não apresentar uma trama mais concreta, o longa acaba seguindo a mesma estrutura, e da metade para o fim se torna um tanto quanto sem graça. "Angry Birds: O Filme", é com certeza uma daquelas adaptações que merecem ficar apenas no jogo, ou se tornar apenas mais um filme para passar o tempo.


Baseado na história de Red, a trama guia o telespectador durante as várias desventuras do personagem, narrando não só sua relação com os membro da ilha dos pássaros (que não é das melhores), como também consigo mesmo. Sendo todos, cidadães pacatos e calmos, estando sempre transbordando felicidade, Red acaba causando a divergência na aldeia, devido a sua personalidade fechada e solitária. Além disso, sua expressão sempre meio raivosa e extremamente "reclamona", tornam sua vida ainda mais complicada nesse mundo que parece não aderir a raiva. E é justamente nessa harmoniosa ilha que surge, certo dia, uma ameaça: os porcos. Chegando como amigos, eles vão ganhando a confiança dos pássaros, mas seu único objetivo e roubar seus ovos para comê-los. Red é o único que desconfia da atitude dos visitantes, mas sendo um excluído social, tendo sofrido bullying na infância e sendo órfão, os outros não lhe dão ouvido. Agora, depende especialmente dele impedir o fim dos ovos e da próxima geração de passarinhos que está para nascer.

Não vou negar que o filme me agradou no começo. Pelo contrário, ao inicio a história antes tão "sem história" do game, ganhou um maior sentido, e enquanto a trama puxava para um lado mais dramática, a coisa ia ficando interessante e chamando mais atenção, embora as piadas durante todo o longa sejam fracas ou até meio infames, levando-se em consideração que é uma animação para crianças. Embora a ideia da produção e da direção tenha sido boa, no fundo não fui tudo que eu esperava, e para um filme infantil, achei que faltaram mais piadas engraçadas, e não os diálogos sem muita emoção. Além disso, da metade para o fim, o filme perde basicamente toda a sua essência, focando no atrito entre os porcos e pássaros, transformando o longa em uma versão 3D do jogo.

 

No mais, não considero que o filme foi um erro tão mortal quanto algumas pessoas colocaram. De fato, "Angry Bird" é uma animação feito inteiramente para crianças, e emboras as piadas pareçam muito adultas, na mentalidade infantil, não passarão disso, piadas, que irão fazê-las rir em algum momento. Eu pessoalmente esperava mais, até porque queria uma expansão do universo do jogo, mas o filme vai até ele e para ai.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se