30 agosto 2016

Resenha #76 - Arena 13 (Arena 13 Vol 1)!





Título: Arena 13
Coleção: Arena 13
Autor: Joseph Delaney
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2016
Especificações: Brochura | 320 páginas
ISBN: 9788528620610
 Sinopse
Primeiro livro da nova trilogia do autor best-seller de As Aventuras do Caça-Feitiço.
Leif tem uma única ambição: tornar-se o melhor lutador da famosa Arena 13. Lá, os espectadores apostam em qual lutador vai derramar sangue primeiro. E, em ajustes de contas, apostam em qual lutador vai morrer. Mas a região é aterrorizada por Hob, um ser maligno que se deleita torturando a população e exibe o seu poder devastador desafiando combatentes da Arena 13 a lutas até a morte quando bem entende. E isso é exatamente o que Leif quer, pois ele conhece bem os crimes de Hob. E, no cerne da sua ambição, arde o desejo de vingança. Leif procura revanche contra o monstro que destruiu a sua família. Mesmo que isso lhe custe a vida.
Cortesia Editora Bertrand Brasil (Grupo Editorial Record) 

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Dizem que as aparências enganam. No caso desse livro, infelizmente, o ditado faz sentido. 'Arena 13' foi se não uma leitura decepcionante, e mais uma trama que ao meu vê, foi mal desenvolvida pelo autor. Com uma narrativa um tanto quanto arrastada, falta de ação e personagens que não cativam, o que salva o livro, são os pouquíssimos momentos de adrenalina ou então a mitologia, que se fosse melhor explorada e explicada, poderia ter mudado totalmente minha visão sobre a história.



Leif tem apenas uma única ambição em sua vida: tornar-se o melhor lutador da famosa Arena 13, um local onde homens se desafiam com intuito de conseguir fama e dinheiro. Mas para chegar lá, o garoto precisará treinar, em uma jornada complicada que pode mostrar a verdadeira realidade sombria por trás de tanto sangue e batalha. Além disso, a região, isolada por uma barreira invisível, é assolada e dominada por um ente maligno conhecido como Hob. Hob desafia combatentes da Arena 13 desde muito tempo atrás, exibindo seu poder, roubando suas almas e controlando todos através do medo. O que ele não sabe, é que Leif tem uma dívida de infância para ajustar com o monstro que devastou sua família. E o garoto está disposto a fazer a criatura pagar por seus crimes, mesmo que isso custe sua vida e alma.

Narrado em primeira pessoa, o livro de Delaney trás muita expectativa em sua sinopse, mas falha fatalmente na hora de convencer o leitor. Além de personagens rasos, a obra não tem um enredo muito mal explicado. Na verdade, a ideia é boa, e em alguns momentos da trama, o autor consegue desenvolver bem, mas em terminados instante, tudo acaba indo por água abaixo, quando mais termos, criados pelo escritor, são jogados dentro da história, contextualizados muito superficialmente; acabando por tornar tudo uma confusão só. Pelo menos essa foi minha sensação. 'Arena 13', foi um livro que me ganhou pela sinopse. Por se tratar de algo tão forte, trazendo uma capa bem sugestiva, imaginei que a trama seria violenta, cheia de cenas repletas de adrenalina e um protagonista forte, o que realmente, infelizmente não aconteceu. Se posso ter um diferencial, é que essa foi uma das poucas distopias que li onde o herói é um garoto, que passa, mais infelizmente ainda, boa parte da história agindo como se fosse um coadjuvante.

Na minha experiência com o autor em outras obras suas (a exemplo sua série mais famosa, 'As Aventuras do Caça Feitiço'), me deparei com a facilidade que Delaney tem de cativar o leitor com os personagens mais inusitados. Neste caso, o herói da vez é o personagem secundário Kern. Embora sua participação por todo o enredo seja muito curta, as passagens em que esteve presente foram os momentos que mais achei autênticos, e que realmente inspiraram alguma veracidade para mim. O que ficou a desejar é justamente os elementos não serem bem explicados ou encaixados dentro do contexto da obra. A mitologia abordada pelo autor é legal, e a ideia também, como já mencionei, mas sua construção e a forma superficial demais com que tratou tudo, foi uma parte que me chateou demais.

Mas é preciso rir e brincar. senão o medo enlouquece a gente

Contudo, entretanto, porém, nada me chateou mais que as atitudes de dois personagens destacáveis. O primeiro é o próprio Leif, nosso protagonista e narrador. Como disse, ele passa boa parte da trama sendo um coadjuvantes. Suas falas, tem horas, que não parecem bater com sua personalidade. Um bom exemplo disso é que o personagem passa boa parte do tempo reclamando de sua dificuldade para aprender teorias, quando tudo isso se contradiz em diálogos onde Leif parece muito mais sábio, sabendo lidar não só com as teorias de sua aprendizagem para ser um lutador na arena, como também colocando-as em prática. Em poucas palavras, ele passa uma imagem de burro, mas se contradiz quando tem um monólogo. Mas esse nem foi o ponto que mais me chateou nele. O fato de se fazer de coitado, não demonstrar qualquer atitude em meio a tanta coisa errada que aparece na história, ou então tomar partido das dores do povo e agir (como seria de esperar de um personagem que está sendo contextualizado em uma sociedade distópica), Leif parece apático a tudo, mega influenciável, e concorda com todas as decisões com a maior facilidade. E se por um lado temos ele, estático demais, por outro temos a personagem Kwin, que muito diferentemente, é explosiva, impulsiva e faz simplesmente o que lhe dá na telha, em uma sociedade onde as mulheres são completamente proibidas de tais atitudes (o sonho dela é justamente lutar na arena). O erro dela acontece quando suas atitudes se tornam mesquinhas demais, egoístas e totalmente sem nexo para o que a central do livro quer realmente passar.




Talvez não estejamos prontos para governar a nós mesmo, quem dirá este mundo.

Pessoalmente, fiquei muito decepcionado com a trama. Eu queria realmente gostar do livro, e tentei salvar o máximo de cenas que me agradaram, mas ao fim, o desfecho, foi ainda pior, e infelizmente, dessa vez não poderei salvar. Possa ser que eu não tenha entendido bem a trama no completo. Acho que foi isso. Achei tudo muito confuso, mal explicado, e como falei, os personagens não me cativaram. Tirando alguns poucos instantes onde realmente cheguei a me envolver na leitura, 'Arena 13' foi uma imensa decepção. Subestimado demais, o livro quer tratar de algo forte, sombrio, chocante, mas devido a imaturidade dos seus personagens e a falta de aprofundamento no contexto de tudo (e quero dizer em relação a: como a sociedade se desenvolveu dessa forma? Como os humanos são capazes de dá vida a uma criatura que hora parece mística, ora tecnológica?), não consegue. Com uma capa legal (fator que realmente me chamou atenção) e uma edição bonita, eu queria realmente que a leitura tivesse me agradado. Acho que de distópica, infelizmente ela não tem muita coisa. Pareceu-me mais uma fantasia, envolvendo elementos relacionados não a magia, mas uma espécie de ciência, crença (alquimia para ser mais exato). Quem sabe, na continuação, os buracos sejam fechado. A mim, 'Arena 13' já deu o que tinha de dá.



Joseph Henry Delaney, conhecido como Joseph Delaney, (Londres, 25 de Julho de 1945) é um ex-educador e, atualmente, um autor de ficção científica e livros de fantasia. Delaney aposentou-se de sua posição como um educador, a fim de dedicar suas energias na carreira de escritor em tempo integral. Ele mora em Lancashire, Inglaterra, com sua mulher. Tem três filhos e quatro netos.










15 comentários:

  1. Nossa, acho que nunca dei nota 1 pra um livro na vida hahaha tenso mesmo esse livro, ein! Que pena que ele apresenta tantos pontos negativos, a premissa até que instiga a curiosidade, mas se o autor não sabe desenvolver direito acaba com todo o potencial mesmo :(

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu vi esse livro circulando pelas redes sociais e fiquei curiosa com ele mas lendo a sua resenha eu acabei desanimando um pouco, o que não tira a minha curiosidade e intenção de ler. Espero que me agrade e a continuação também.

    ResponderExcluir
  3. Eita, que droga, hein? Bom, não é um livro que eu leria pq nada nele me atrai rsrs, agora então. XD
    Bjk
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Uma pena que o livro tenha te decepcionado tanto assim. Achei meio parecido com Jogos Vorazes e não sei se é bom ou ruim isso.
    Ainda não conheço a escrita do autor exatamente pelo fato de cativar o leitor com os personagens mais inusitados, mas quero muito conhecer e acho que vou começar por outra série.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, essa é a primeira resenha negativa que vejo sobre esse livro e achei bem relevante e valido os pontos que você levantou e me fez refletir e já não sei se estou tão empolgada assim para ler esse livro. Vou aguardar outras resenhas para depois decidir.
    bjus

    ResponderExcluir
  6. Meu irmão tem esse livro ainda não vi ele fazer a leitura mas pela sua resenha já sei que não vou "roubar" da estante dele.
    Eu tenho fugido um pouco do gênero pois vejo muito do mesmo porém essa capa é muito linda e a sinopse me ganhou quando li a primeira vez descobri que não é como a gente imagina é um pouco bochante.
    Enfim cada um tem uma experiencia eu geralmente gosto do que meu irmão gosta então vou esperar ele fazer a leitura se ele gostar eu tento.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  7. Oiiii David, como vai?
    Infelizmente dessa vez a obra em si não despertou meu interesse e irei pular a dica, mas parabéns pela resenha.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Achei sua resenha muito sincera e se fosse pela sinopse eu criaria muitas expectativas para esse livro, mas conforme fui lendo a sua opinião eu entendi muito bem o motivo de dar 1 estrela, então é melhor pular fora dessa cilada rs
    Beijos.
    https://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá, não conhecia esse livro, mas quando você mencionou o autor eu lembrei que ha um tempo atras eu queria muito ler a outra série dele, mas acabei deixando de lado e esquecendo de pesquisar mais. Uma pena que o livro não tenha lhe agradado, pareceu que você tinha grandes expectativas pelo mesmo, uma pena mesmo você não ter alcançado, pois isso é uma droga.

    enfim, espero que no próximo livro (caso você dê uma chance) supere suas expectativas ou pelo menos explique as lacunas...

    Beijos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    Li esse livro alguns meses atrás e menino eu gostei bastante, sério. O autor construiu um baita cenário, com uma excelente ambientação, uma mistura das antigas arenas romanas e embora o Leif tenha me irritado um pouco em algumas partes, o livro é sim uma excelente história e tem um grande potencial. Sinto muito que você não tenha aproveitado tanto essa leitura e quanto ás poucas lacunas que ficaram, acredito que se resolverá no próximo volume.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  11. Genteeeeeee UMA ESTRELA???
    A vivianne do comentário acima é resenhista no meu blog e leu o livro e curtiu muito do livro.
    Que pena que você não curtiu o livro, é tão chato quando pegamos um livro para ler com altas expectativas e somos decepcionados. Quando personagens nos irritam a coisa fica pior. Mas enfim, parabéns pela ótima resenha e pela sinceridade.

    ResponderExcluir
  12. Eu queria muito ler esse livro, já me falaram coisas muito boas dele, mas agora você me desanimou bastante. Uma pena o livro não ter sido bom.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?

    um amigo me falou sobre o livro, narrou cena por cena, por umas duas horas sem parar. Quando ele terminou eu perguntei: "Mas isso não é Jogos Vorazes, não?". Ele fechou a cara e voltamos a falar sobre seriados.

    Eu não li, mas dei meia estrelinha só, pela narração do meu amigo. Definitivamente não me pegou. Concordei com sua resenha inteira.

    bjsss

    ResponderExcluir
  14. Que chato! É tão ruim quando acontece isso...
    Arena 13 não é meu tipo de leitura, então, ainda bem porque ler e sair assim decepcionada é horrível!

    #Ana

    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi David...
    Para mim não tem nada pior do que um personagem narrador que se torna o coadjuvante. Isso por si só já me irritaria o suficiente para ficar decepcionada com a leitura. Mesmo assim, pela sua resenha parece que é bem mais do que isso...
    Eu até estava pensando em arriscar a leitura, mas não é bem meu tipo de história - ia ler mais por ser algo de um autor que ainda não li, mas depois dos pontos que você levanta na resenha e da decepção - que é horrivel quando acontece, acho que vou deixar esse passar...
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir

Expresse-se