03 maio 2017

Resenha #135 - A Magia da Raposa (Foxcraft Vol 1)!





Título: A Magia da Raposa
Coleção: FoxCraft Vol 1
Autora: Inbali Iserles
Editora: Rocco
Ano: 2017
Especificações: Brochura | 272 páginas
ISBN: 13: 9788579802959
 Sinopse
Destemidas, solitárias, trapaceiras, pouco confiáveis... Seja em fábulas ou ditos populares, o imaginário coletivo não tem sido muito generoso com as raposas. A inglesa Inbali Iserles, uma autora premiada e apaixonada por animais, convida os leitores a conhecer melhor esses seres incríveis com a série Foxcraft, uma emocionante trilogia de fantasia protagonizada por uma raposa filhote. Isla vive nos limites das terras dos sem-pelo (os humanos) e está começando a desenvolver suas habilidades. Um dia, ao retornar para sua toca, ela está em chamas e cercada por raposas estranhas. E sua família não está em lugar nenhum. Forçada a fugir, Isla escapa para o frio e cinza mundo dos sem-pelo e é caçada por um inimigo cruel. Para sobreviver e encontrar sua família, Isla precisará dominar a antiga arte das raposas – poderes mágicos conhecidos apenas por elas – e desvendar os segredos da Foxcraft.
Cortesia Editora Rocco 

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Nem lobos, nem cães. Raposas. Colocando em foco os pequenos Canistas, bastante conhecidos por sua astúcia, Inbali Iserles criou um universo de magia e aventura em meio à sociedade das raposas no seu livro, 'Foxcraft – A Magia da Raposa'. Com uma narrativa voltada para o público infantil, em 'Foxcraft' conhecemos a história de uma filhote raposa bastante valente, que está em busca da sua família.

Toda a aventura é narrada em primeira pessoa pela raposa filhote Isla, que, mesmo sendo jovem, é uma raposa muita astuta e consegue enganar o seu irmão mais velho, Pirie, em seus jogos de caça. No entanto, muitos mistérios envolvem a origem de Isla e seus familiares, pois, depois de se perder da família ao voltar para a toca, quando consegue regressar ao seu refúgio, encontra tudo em chamas e sua família desaparecida. Na busca de encontrar os seus familiares, Isla começa a se aventurar pelo Grande Grunhido (a cidade grande) e enfrentar perigos imensos, como os terríveis “esmagadores” e os “canais da morte” (além de algumas raposas malvadas). 

Com personagens do reino animal, a narrativa de Iserles é completamente adaptada a visão de Isla e a sua condição de raposa, deixando a obra muito mais interessante, pois a personagem é humanizada em suas emoções, mas sua condição física é sempre lembrada (principalmente, a sua cauda inquieta). Não só se preocupando com a condição física da protagonista, Iserles se preocupou em elaborar um vocabulário comum as raposas, como esmagadores (usados pelas raposas para denominar os carros) e “canais da morte” (usados para denominar as pistas). Isso demonstra a preocupação da autora em, realmente, olhar o mundo pela perspectiva de animais selvagens, pois, os carros que para os humanos são veículos “inofensivos”, aos animais selvagens são verdadeiros “esmagadores”.

Como 'Foxcraft – A Magia da Raposa' é o livro inicial da saga, então, o enredo é mais voltado para a apresentação do cenário, porém, isso não o caracteriza como um enredo lento. Na verdade, a mitologia criada por Iserles é bastante rica e nos deixa bastante curiosos, querendo conhecer mais sobre os segredos e dons que as raposas possuem (e quais a Isla vai despertar, claro).

Sobre a edição, considero todo o livro muito bem elaborado, pois, além de ter uma capa bem interessante e imagens ilustrando o começo de cada capítulo, existem alguns recursos extras, que nos auxilia a compreender a narrativa da filhote raposa. Nas primeiras páginas do livro, temos um mapa do cenário, enquanto nas últimas páginas, temos um glossário dos termos usados pelos animais do cenário, que podem não ficar claro para os leitores.

A avaliação do livro foi bem complicada para mim, pois gostei bastante da escrita da Inbali Iserles (gostei muito do nome dela, também rs), entretanto, a narrativa infantil me causou estranhamento, talvez por eu está em um momento menos infantil. Só que eu indicaria esse livro para uma criança (ou adolescente), pois o universo criado pela autora é muito mágico e bem coeso, rico em sua mitologia. Por isso, minha avaliação para o livro foi quatro estrelas e meia, porque considero uma obra bem elaborada em sua edição e tem uma narrativa mágica ótima para jovens leitores.



Inbali Iserles é uma autora premiada e uma intensa adoradora de animais. Ela faz parte do time de autores por trás da série Survivors, bestseller do The New York Times, que escreveu sob o pseudônimo de Erin Hunter. Seu primeiro livro, The Tygrine Cat, venceu o prêmio Calderdale Children’s Books of the Year na Inglaterra. Inbali mora em Cambridge, Inglaterra, com sua família, incluindo seu principal mascote de escrita, Michi, que parece uma raposa-do-ártico e age como um gato, mas na verdade é um cachorro.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se