Resenha #179 - O Navio dos Mortos (Magnus Chase Vol 3)!





Título: O Navio dos Mortos
Coleção: Magnus Chase Vol 3
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Especificações: Brochura | 368 páginas
ISBN: 
13: 9788551002476
 Sinopse
Nos dois primeiros livros da série, Magnus Chase, o herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain, ex-morador de rua e atual guerreiro imortal de Odin, precisou sair em algumas jornadas árduas e desafiar monstros, gigantes e deuses nórdicos para impedir que os nove mundos fossem destruídos no Ragnarök, o fim do mundo viking. Em O navio dos mortos, Loki está livre da sua prisão e preparando Naglfar, o navio dos mortos, para invadir Asgard e lutar ao lado de um exército de gigantes e zumbis na batalha final contra os deuses. 
Desta vez, Magnus, Sam, Alex, Blitzen, Hearthstone e seus amigos do Hotel Valhala vão precisar cruzar os oceanos de Midgard, Jötunheim e Niflheim em uma corrida desesperada para alcançar Naglfar antes de o navio zarpar no solstício de verão, enfrentando no caminho deuses do mar raivosos e hipsters, gigantes irritados e dragões malignos cuspidores de fogo. Para derrotar Loki, o grupo precisa recuperar o hidromel de Kvásir, uma bebida mágica que dá a quem bebe o dom da poesia, e vencer o deus em uma competição de insultos. Mas o maior desafio de Magnus será enfrentar as próprias inseguranças: será que ele vai conseguir derrotar o deus da trapaça em seu próprio jogo?

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Não esperava menos do meu autor favorito. Em "O Navio dos Mortos", Rick Riordan encerra a trilogia "Magnus Chase" com esplendor e garante muita diversão, aventura e mitologia.


Magnus e seus amigos caíram em uma armadilha e agora precisam concertar o estrago que fizeram. Para isso, terão que navegar em águas ainda mais perigosas em busca de encontrar o navio de Loki e impedir o Ragnarok. Seriam eles capazes de lutar contra o próprio fim dos tempos?

Não dá para sentir ódio para sempre. Não vai afetar nem um pouco a pessoa que você odeia, mas vai te envenenar, com certeza.

Se esse livro não tivesse nada fora o romance entre Magnus e Alex, ele já bastaria. Rick Riordan mostrar aos leitores que apesar dos clichês tão conhecidos de seus livros, sua criatividade vai muito além, sendo capaz de surpreender o leitor com muitas reviravoltas. "O Navio dos Mortos" foi um desfecho magnífico que a sensação final dessa leitura é pura nostalgia e saudade. Desde o primeiro volume da trilogia, "Magnus Chase" já se mostrava tão bom quanto "Percy Jackson" (saga do meu coração), contando com personagens cativantes, piadas certeiras e cômicas e uma trama complexa e ao mesmo tempo simples que ia muito além da pura mitologia.

Magnus é um personagem irreverente, engraçado e humanamente mais próximo do que o leitor poderia querer para criar empatia e se identificar com sua personalidade. Tendo um feedback bem mais fundo e sombrio, o protagonista já mostrava um imenso potencial desde que sua história foi contada. Suas piadas bem encaixadas nos momentos mais propícios, a personalidade meio covarde que contradizia todos os outros heróis criados pelo autor, e todo um charme particular, ele é sem dúvidas o ponto mais alto dessa trilogia. Mas não apenas. Riordan trouxe muita diversidade para suas obras desde a introdução do primeiro personagem LGBTq. Nessa trilogia, o leque foi ainda mais amplificado. Primeiramente destaco Alex, personagem de gênero fluído que completou e trouxe um balanceamento adequado para a trama. Seu humor mais ácido, a alto estima gritante e o comportamento inesperado, tornam ele a química perfeita para os foras mais bem acentuados.

Fora o personagem LGBTq, ainda temos a ingressão de personagens surdos e muçulmanos (Samirah e Hearthstone), que complementam com muita alegria esse quadro de heróis desajustados que muitos leitores irão se identificar com facilidade.

Acho que uma das coisas difíceis de fazer é ver as pessoas como elas realmente são. Nossos pais. Nossos amigos. Nos mesmos.

O interessante desse livro foi o espaço que Riordan utilizou para falar mais sobre os outros personagens, alguns até batidos para mim, mas que ganharam maior destaque e tiveram muita importância. Por isso é difícil escolher um que seja meu favorito, já que acabei me apegando a todos. Suas características humanas, cheias de falha, me faziam sentir carinho e empatia por todos, nas mais diversas situações.

"Magnus Chase" foi na realidade o que eu esperava de "As Crônicas dos Kanes" (outra trilogia do autor), que tinha um começo consistente, mas não personagens que cativassem tanto. Desta vez, o autor aderiu maior diversidade, eventos sem muita pretensão e piadas bem mais comedidas, recheadas de referencias ao universo pop e nerd, que fizeram dessa trilogia algo tão gostoso e imperdível de ler. Se não você não for fa de mitologia, leia pelo humor. "O Navio dos Mortos" deixa aquele gostinho de quero mais e uma dose considerável de saudade de personagens tão variados.


Rick Riordan nasceu em 1964, em San Antonio, Texas, Estados Unidos, onde mora com a mulher e dois filhos. Durante quinze anos ensinou inglês e história em escolas públicas e particulares de São Francisco. Além da série Percy Jackson e os Olimpianos, publicou a premiada série de mistério para adultos Tres Navarre.




5 comentários

  1. Oi, Emerson!
    Menino, eu quase nem lembro direito das Crônicas dos Flop haahahah Só lembro que gostava da Kate (acho que esse era o nome dela) e o irmão (que não lembro nome) era chato demais.
    Esse série conseguiu tomar o lugar de Percy Jackson no meu coração!!! Foi difícil me despedir.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Olá, David.
    Eu ainda não comecei a ler essa trilogia. Tenho só o primeiro livro aqui em casa. Mas sou muito fã do autor e quero ler todos os livros dele. O problema é que ele lança mais livros que consigo ler. Eu amei a Trilogia dos Kane hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. É legal quando o autor consegue envolver de forma tão legal os outros personagens.. Acho as capas dessa série muito bonitas..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi
    que bom que gostou da leitura, adoro o Rick e esse é minha leitura atual e estou gostando, fora que Shippo o Magnus e Alex, o Rick sempre consegue escrever histórias envolventes.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi David! Eu ainda não peguei pra ler essa série, mas fico feliz em saber que o Riordan continua arrasando e surpreendendo!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Expresse-se