Resenha #196 - O Dueto Sombrio (Monstros da Violência Vol 2)!





Título: O Dueto Sombrio
Coleção: Monstros da Violência Vol 2
Autora: Victoria Schwab
Editora: Seguinte
Ano: 2018
Especificações: Brochura | 448 páginas
ISBN: 13: 9788555340666
 Sinopse
Na sequência final de A Melodia Feroz, Kate Harker precisa voltar para Veracidade e se unir ao sunai August Flynn para enfrentar um ser que se alimenta do caos. 
Kate Harker não tem medo do escuro. Ela é uma caçadora de monstros — e muito boa nisso. August Flynn é um monstro que tinha medo de nunca se tornar humano, mas agora sabe que não pode escapar do seu destino. Como um sunai, ele tem uma missão — e vai cumprir seu papel, não importam as consequências.
Quase seis meses depois de Kate e August se conhecerem, a guerra entre monstros e humanos continua — e os monstros estão ganhando. Em Veracidade, August transformou-se no líder que nunca quis ser; em Prosperidade, Kate se tornou uma assassina de monstros implacável. Quando uma nova criatura surge — uma que força suas vítimas a cometer atos violentos —, Kate precisa voltar para sua antiga casa, e lá encontra um cenário pior do que esperava. Agora, ela vai ter de encarar um monstro que acreditava estar morto, um garoto que costumava conhecer muito bem, e o demônio que vive dentro de si mesma.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Dando continuidade a história trágica e violenta de Kate e AugustVictoria Schwab apresenta mais de um mundo descontrolado e recheado de atos sombrios com 'O Dueto Sombrio', uma capítulo final, que infelizmente, não deixou esse gosto.

Após os eventos finais de 'A Melodia Feroz', Kate e August seguem caminhos distintos e distantes. Enquanto ela muda-se para outra cidade, tornando-se uma espécie de protetora do lugar, August continua na frente da batalha tentando com todas as suas forças recuperar sua cidade das mãos do imparável Sloan. Mas seus caminhos estão prestes a se cruzar novamente. Uma nova ameaça ainda mais perigosa, surgida dos locais mais sombrios na cidade de Kate, acaba dirigindo-se para Veracidade, seu antigo lar. E ela precisará retornar. Uma luta violenta os aguarda nesse desfecho. Até onde justiça ainda é justiça?


'O Dueto Sombrio' é um livro implacável, sem dúvidas, e embora apresente alguns problemas notáveis, boa parte da narrativa se desenvolve muito bem. Schwab continua a descrever um mundo realmente diferente e atrativo, cheio de metáforas e ideais que vão muito além dos conceitos de mal e bem que temos internalizados. 

Narrado em primeira pessoa, a narrativa se altera do ponto de vista dos dois protagonistas e de um dos antagonistas. Essa modificação de pontos de vista é uma das coisas que mais me agrada na escrita de Schwab. Você não só consegue se identificar com todos os personagens, como se vê colocado na situação que eles estão vivenciando. Dessa forma, é impossível não se envolver na leitura. A escrita da autora é fluída e seus capítulos dinâmicos fazem com que rapidamente toda a trama seja consumida. Mesmo lendo bem lentamente, consegui finalizar o livro em três dias, basicamente. Então, isso para mim, é rápido, levando-se em consideração meus outros históricos de leitura de acordo com o número de páginas da obra. O fato de estar constantemente alterando de um cenário para o outro ajuda a não tornar nada monótono, fora que, são incontáveis cenas de ação do começo ao fim. Você se prende a leitura e a curiosidade de saber como tudo vai encerrar. E o final, a mim, foi algo que teve um gosto satisfatório e ao mesmo tempo não. Vamos por partes.

Eu gostei demais de 'A Melodia Feroz'. Acho que as contradições e questionamentos que a autora trás são imensamente relevantes para qualquer ser humano; o mundo que ela cria, a separação social, toda a estrutura de sua cidade, é brilhante e chamativa, sem contar seus personagens contraditórios. Mas em 'O Dueto Sombrio', esse mundo não foi bem explicado e resolvido, e seus personagens, pelo menos, nem todos, tiveram um desfecho que poderia ser visto fielmente como fim.

As pessoas eram confusas. Não podiam ser definidas pelo que tinham feito, mas pelo teriam feito, sob circunstâncias diferente, moldadas tanto por seus arrependimentos como por suas ações, as escolhas que defendiam e as que gostariam de poder fazer diferente. Mas não havia como, porque o tempo só seguia em frente, mas as pessoas podiam mudar. Para pior. E para melhor. Não era fácil. O mundo era complicado. A vida era dura. E, muitas vezes, viver era dolorido.
Então faça a dor valer a pena.

Gostei totalmente de todo o arco que a protagonista Kate apresenta. Sem dúvidas é o melhor construído dentro do livro. A personagem passa por muitas transformações e cresce de maneira gigantesca dentro da narrativa e por mais que alguns de seus atos pareçam clichê, eu consegui me identifica com todos, sofri com suas perdas e ao fim, com a despedida e o término de sua jornada. Contudo, o mesmo já não posso dizer sobre August. Embora ele ainda seja meu personagem favorito (toda a complexidade que a autora remonta nesse personagem é sensacional), o seu arco final não passou a impressão de ser um encerramento. Para um livro que deveria encerrar a duologia, 'O Dueto Sombrio' age muito mais como algo intermediário. Muitas pistas passam batida, ficam soltas no ar e não ganham resolução. Eu pelo menos esperava algo mais amarrado ao fim, e isso foi um tanto decepcionante, embora não tenha estragado toda a experiência que tive com a obra até meados dos noventa por cento da leitura. Os sacrifícios que a autora monta, toda a dor dos seus personagens, é visível e palpável, mas o fator construção de mundo ficou no ar. Não foi dado um futuro para os monstros que sobraram e menos ainda para a resistência. Ou seja, tudo terminou da forma como começou: incerto. Não sabemos exatamente nada concreto sobre o arco do August ou da cidade e isso me chateou, não vou negar.

Assim como também me incomodou o descaso da autora com alguns personagens legais que aparecem logo ao inicio da narrativa, inseridos no núcleo da Kate. Eram personagens interessantes que podiam acrescentar mais, no entanto, ficaram apenas sendo uma presença em alguns capítulos, para depois desaparecer sem deixar qualquer pista.

No fim, eu gostei muito de 'O Dueto Sombrio', foi uma leitura muito boa e encerrou justamente a trajetória de um dos personagens, mas não chega a ser bem construído como 'A Melodia Feroz'. Na realidade, acho que mesmo com o final aberto do primeiro livro, e com o gancho gigantesco para esse segundo, o plot dele consegue ser ainda mais redondo e amarrado do que o desse. Então, para mim, a duologia funcionaria muito melhor como livro solo.




Victoria é o resultado de uma mãe britânica, um pai de Beverly Hills e uma educação sulista. Por causa disso, ela é conhecida pelo seu sotaque. Ela também conta histórias, além de amar contos de fadas, folclore e histórias que a fazem imaginar se o mundo realmente é o que parece.




10 comentários

  1. Oi, David! Tudo bem?!
    É uma pena quando um livro não supera as nossas expectativas, não é mesmo? E por se tratar do segundo livro de uma duologia, eu entendo que você estava esperando que as pontas não ficassem soltas... Mas pelos seus comentários, será que a autora não pretende lançar algum spin off? Tô perguntando porque enquanto eu lia sua resenha, eu também fiquei com a impressão de que nem tudo foi realmente finalizado... 'O dueto sombrio' pareceu um livro intermediário de trilogia, não sei.
    Mas ainda bem que, apesar dos apesares, você acabou fazendo uma leitura proveitosa.

    Beijos
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi moça!
      Eu não sei. Espero que ela lance pelo menos mais um. É bem necessário, mas por hora, é só duologia mesmo

      Excluir
  2. Olá, David.
    Eu comprei esse livro e estou esperando chegar. Eu gosto muito de narrativas que se alternam entre os personagens. Assim a gente não fica preso a visão de um deles só da história. E quem sabe a ideia da autora não seja escrever uma continuação hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      Espero que seja mesmo, porque eu achei bastante aberto. Precisava mais.

      Abraços
      David

      Excluir
  3. Acho as capas dessa trilogia tão lindas!! Quem sabe uma hora dessas eu leia ela, mas ainda não está em meus planos.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Monique!
      Não são? Eu amei essas capas desde que foram lançadas lá fora. Fiquei muito feliz pela Seguinte ter mantido, embora a edição não seja tão digna.

      Abraços
      David

      Excluir
  4. Oi, David!
    Eu amei esse livro e até hoje sofro com aquele final T_T
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!
      Eu também sofro, mas eu realmente queria mais respostas para o destino do August. Ele ainda é meu personagem favorito :(

      Abraços
      David

      Excluir
  5. Oiii David

    Essa não é a primeira resenha que leio que fala a mesma coisa, que esse livro seria arrasador como livro único e não como bilogia já que essa segunda parte vem mais fraquinha. Mesmo assim a premissa da bilogia é boa demais pra deixar passar, ja está na minha TBR a primeira parte e espero conferir em breve.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice!
      E DEVE MESMO ESTAR. A Melodia Feroz é maravilhoso. Esse não é ruim, só é mais fraco e não supri todas as respostas que eram necessárias para ter uma sensação de final mesmo sabe. Mas não é ruim, inclusive só não favoritei pq seria injusto com o anterior, que tem um desfecho bem mais redondo.

      Excluir

Expresse-se