Cinema #52 - Todo Dia!






Título: Todo Dia
Gênero: Drama
Direção: Michael Sucsy
Elenco: Amanda Arcuri, Angourie Rice, Charles Vandervaart, Colin Ford, Debby Ryan, Hannah Alissa Richardson, Jacob Batalon, Jake Sim, Jeni Ross, Justice Smith, Karena Evans, Katie Douglas, Keana Bastidas, Lucas Jade Zumann, Maria Bello, Martin Roach, Michael Cram, Nicole Law, Owen Teague, Rory McDonald, Sean Jones
Roteiro: David Levithan, Jesse Andrews
Produção: Anthony Bregman, Christian Grass, Ethan Lazar, Paul Trijbits, Peter Cron
Duração: 97 min.
Estúdio: Paris Filmes
 Sinopse: Baseado no aclamado best-seller do The New York Times de David Levithan, "Todo Dia" conta a história de Rhiannon, uma garota de 16 anos que se apaixona por uma alma misteriosa chamada "A" que habita um corpo diferente todos os dias. Sentindo uma conexão incomparável, Rhiannon e A trabalham todos os dias para encontrar um ao outro, sem saber o que ou quem o próximo dia irá reservar. Quanto mais os dois se apaixonam, mais as realidades de amar alguém que é uma pessoa diferente a cada 24 horas afeta eles, levando o casal a enfrentar a decisão mais difícil que eles já tiveram que tomar.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Com opiniões controversas, 'Todo Dia' chega ao cinema e comprova que apesar das diferenças, ainda tem potencial para ser um filme apaixonante com uma trama original e repleta de lições.


Rhiannon (Angourie Rice) tem tentando levar com paciência e maturidade o relacionamento distante e unilateral que sustenta com Justin (Justice Smith). Seus esforços, entretanto, não parecem surtir efeito. Não até certa manhã quando seu Justin está diferente e lhe oferece tudo aquilo que ela sempre sonhou. Mal sabe ela que naquele dia Não era Justin que trouxe sua felicidade.

A (Vários atores) não sabe bem o que ou quem é. Todo dia acorda em um corpo diferente, ora homem, ora mulher, e nunca se importou em deixar marcas na vida das pessoas que possuiu. Mas tudo muda ao acordar no corpo de Justin. Rhiannon o/a faz querer ficar. Seria capaz de superar os limites do racional e ir além de seu exterior para conseguir salvar esse amor?


Quando se trata dessa trama eu acho ela extremamente original e isso já rende diversos pontos. 'Todo Dia' tem uma história muito peculiar que esta constantemente conversando e debatendo sobre a variedade de gêneros, aceitação ao próximo e liberdade. O debate só se fortalece a cada novo corpo que A aparece usando e eu acho isso incrível. Nas telas, essas oscilações ficaram bem estruturadas, cheias de sentimento. O roteiro consegue fazer com que você se cative pelo personagem sem nem ao menos vê-lo preso em um corpo de um ator. São vários e mesmo sem o plano de fundo de cada corpo, você ainda se identifica e se apaixona.

A adaptação, ao meu vê, acabou juntando os dois livros da série publicada até o momento: 'Todo Dia' e 'Outro Dia', e eu entendi o porque da produção ter apelado a isso. Enquanto que no livro principal que deu inspiração ao longa, acompanhamos a história se desenrolar pelos olhos do A, o outro foca na experiência e como Rhiannon enxergou toda a situação. No filme, eles contam tudo sob o ponto de vista dela, o que fez muito mais sentido. Seria complicado e talvez confuso narrar a história de A sem que   se tenha um corpo físico para representar. Ficaria algo muito abstrato e misturado. O roteiro dá um trabalho muito digno para os elementos que possui, pelo menos ao meu ver. Fora que, conhecer a mocinha também foi muito interessante. Os dramas da personagens também são relevantes e tem um peso significativo na sua relação com A.

Entretanto, a dois pontos que eu achei fraco e sem sentido. O primeiro é justamente no fato de A trocar o corpo. Essa é a grande tirada da história e em determinado momento esse elemento é vetado. A mim ficou sem sentido e descontextualizou tudo de legal que vinha sendo trabalhado até então. Embora não seja algo que tenha me feito ficar revoltado ou estragado tudo, foi algo sem necessidade que me pareceu forçado e uniformizou demais o relacionamento entre os personagens, cortando a essência da trama.

O outro é o fato dos roteiristas não utilizarem de nenhuma citação do livro dentro dos diálogos. David Levithan e Jesse Andrews falharam fatalmente por ignorar frases tão sentimentais e legais que a obra possuía. Quem leu o livro sabe o quão lindas e filosóficas são as metáforas utilizadas pelo autor. A mim, elas teriam dado um toque ainda mais especial a tudo. Infelizmente não rolou.

Então vale adiantar que esse filme não é uma adaptação fiel. No começo diversos elementos de cenas do livro estão presente, mas em sua totalidade se diferencia quase completamente. O que para mim não foi um obstáculo.


Apesar de não ter me parecido nenhuma atuação digna de ressaltas, todos os atores encarnam bem seus papéis ao ponto de convencerem o telespectador e o fim é satisfatório para mim, mesmo fugindo ao esperado e sendo meio pessimista. 'Todo Dia' é um filme que vai apaixonar todos que não leram o livro ou que o encararem apenas como mais um romance fofinho para passar a tarde; sem grandes expectativas, mas com debates importantes.


4 comentários

  1. Oi, David!
    Agora sim posso assistir o filme e comparar. Mas se tu deu 4 estrelinhas é porque deve ser bonzinho mesmo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!
      É sim.
      Eu ainda prefiro o livro, claro, mas acho que tu vai curti mais o filme. É mais rápido em questão de desenvolvimento. Embora não sei. Tu não curtiu muito o casal. Não sei. Ve se tu gosta KKKK.

      Abraços
      David

      Excluir
  2. Oi David! Eu não li o livro, então eu gostei do filme hehehheeh achei fofo mesmo e com um bom tema!

    BJs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi!
      Pois é. Eu acho que o filme vai agradar muito mais a galera do que o livro, porque muita gente não foi tão adepto, mas eu curti ambos. Em especial o livro, que é um dos meus favoritos da vida. Mas o filme é bonzinho também.

      Abraços
      David

      Excluir

Expresse-se