Coluna: Na Tela #54!



Quando uma série nova aparece e ela é muito boa, a gente precisa falar dela e divulgá-la imediatamente. Foi essa a sensação que tive quando terminei de maratonar 'The Umbrella Academy', nossa indicação desse mês.





SINOPSE: A trama segue os membros da uma família disfuncional de super-heróis, conhecida como The Umbrella Academy, trabalhando juntos para solucionar a morte misteriosa do pai e aprendendo como cooperar em equipe.











Elenco: Ellen Page (Vanya Hargreeves), Robert Sheehan (Klaus Hargreeves), Mary J. Blige (Cha-Cha), Tom Hopper (Luther Hargreeves), Cameron Britton (Hazel), Aidan Gallagher (Number Five), Justin H. Min (Ben Hargreeves), Emmy Raver-Lampman (Allison Hargreeves), David Castañeda (Diego Hargreeves)


'The Umbrella Academy' é a mais nova aposta da Netflix no gênero de super heróis, porém com uma abordagem um tanto quanto diferente. Essa primeira temporada conta com 10 episódios dos já costumeiros 60 minutos aproximadamente. Na criação temos Jeremy Slater (também criador de outra série já falada aqui O Exorcista) e no momento desse post sua nota no IMDb está 8,5.

Antes de adentrar na série preciso dar algumas informações para caso vocês ainda não saibam. A série é baseada numa HQ homônima (que surpresa) e sua primeira temporada abordou o primeiro arco dessa série de histórias, chamado Suite do Apocalipse. A HQ foi roteirizada pelo vocalista da banda My Chemical Romance, Gerard Way e as ilustrações ficaram por conta de Gabriel Bá, um ilustrador brasileiro (demais!). Inclusive os dois ficaram como produtores executivos da série, então podemos ver que eles estavam lá para preservar a essência da história.

Atualmente a série de quadrinhos está em seu terceiro volume, Hotel Oblivion, então temos material para pelo menos mais duas temporadas. Sem contar é claro com o quarto volume que está em desenvolvimento.

Apesar de ser uma série de heróis, o roteiro de 'The Umbrella Academy' traz uma nova visão para essa classe de super pessoas. O roteiro tem fortes referências ao 'Quarteto Fantástico', 'Patrulha do Destino' e 'X-Men', até porque o autor das HQ é um fã dos heróis da Marvel e DC assumido. Preciso dizer que essas são ótimas fontes para se beber.

Deixando as fontes e indo para a série, o roteiro é muito bem construída nos contando uma história muito coesa e relativamente bem desenvolvida. Algo muito interessante no desenvolvimento é como as relações com os irmãos são mostradas e como elas foram se tornando tão conturbadas através dos tão conhecidos flashbacks. Uma ressalva aqui: seria bom um pouco mais da utilização desse recurso para que algumas relações fossem mais trabalhadas e resultassem no que são no presente. Porém nada que torne a série em algo ruim, só precisava de mais desenvolvimento.

No quesito personagens que roubam a cena estão Nº4, Klaus, e o Nº5 (ele não possui um nome, apenas número). Robert Sheehan nos traz um personagem tão excêntrico que é atormentado por seus poderes e sua atuação nos entrega isso muito bem e de uma forma que talvez até possamos sentir seus tormentos. Aidan Gallagher foi uma grande surpresa também. Ele trouxe uma verdade em sua atuação que me deixou impressionado. Você começa a ver ele realmente como um homem de 68 anos preso no corpo de uma criança de 15 anos, estando de parabéns pelo show de atuação. Os demais personagens também são bons em suas presenças, mas esses dois se superaram, talvez porque eles tenham ganhado uma profundidade maior. Menção honrosa para Ellen Page em sua atuação, onde conseguiu me fazer sentir pena e ódio por sua personagem e pelo que eu soube trouxe bem a essência da Vanya dos quadrinhos.

Não posso me esquecer da fotografia que está tão bem feita, um jogo muito bem realizado de azuis e amarelos dando uma ótima mistura, harmônica para o tom que a série possui. Junto com ela também temos a maravilhosa trilha sonora que dá um toque um tanto especial para a experiência. Dentre as músicas temos Barracuda da banda Heart, Don't Stop Me Now da banda Queen e outras da My Chemical Romance e do próprio Gerard Way.

AVALIAÇÃO

No geral, 'The Umbrella Academy' foi uma ótima surpresa. No meu caso, eu não esperava nada dela e isso foi o que acabou trazendo algo incrível. Estou esperando ansiosamente pela segunda temporada depois daquele enorme cliffhanger final. Mas agora gostaria de saber de vocês o que acharam dessa série ou se vocês ficaram curiosos. Nos vemos mês que vem com mais uma resenha de série.



5 comentários

  1. Olá, Anderson.
    Também comecei a assistir a série sem esperar nada e acabei maratonando da metade para a frente. Gostei bastante da história e das atuações e estou doida pela próxima temporada para saber para onde eles foram hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Nunca li os quadrinhos, mas assisti a série e adorei de mais a história, os personagens, e já estou louca para uma nova temporada!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi! Eu adorei esta série, foi uma ótima surpresa. Estou ansiosa pela próxima temporada, tomara que chegue em breve. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  4. Oi Anderson, tudo bem? Eu achei a premissa bem interessante e li realmente criticas bem positivas da série, mas eu confesso que estou bem mais interessada nas HQs!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Sou suspeito pra falar sobre The Umbrella Academy, porque a série conquistou meu coração e até fiz um review pro meu blog também, hah. Muito interessante como conseguiu apresentar tantas referências ao universo de super-heróis, mas com essa pegada mais do 'humano', focada nas relações e não no comum 'heróis vs vilões'. O duo Klaus e Nº 5 são sem dúvidas o ponto alto da série, bastante excêntricos e caricatos, além de proporcionar boas cenas de humor e ação.

    Abçs
    https://www.bananices.com/

    ResponderExcluir

Expresse-se