Resenha #267 - Os Pergaminhos Vermelhos da Magia (As Maldições Ancestrais Vol 1)!





Título: Os Pergaminhos Vermelhos da Magia
Coleção: As Maldições Ancestrais Vol 1
AutoresCassandra Clare e Welsey Chu
Editora: Galera Record
Ano2020
Especificações: Brochura | 294 páginas
ISBN13: 9788501118288
 Sinopse
Cassandra Clare e Wesley Chu lançam o primeiro livro da nova série que acompanha o feiticeiro Magnus Bane e o caçador de sombras Alec Lightwood enquanto viajam pelo mundo após a Guerra Mortal.
Tudo o que Magnus Bane queria era aproveitar suas férias pela Europa com Alec Lightwood, o Caçador de Sombras que, contra todas as probabilidades, finalmente é seu namorado. Mas assim que os dois se instalam em Paris, uma velha amiga chega com notícias sobre um culto de adoração a demônios chamado A Mão Escarlate, que está empenhado em causar o caos em todo o mundo – um culto que, aparentemente, foi fundado pelo próprio Magnus, anos atrás. Agora, Magnus e Alec vão percorrer o continente europeu para rastrear A Mão Escarlate e seu novo e ilusório líder antes que o culto cause ainda mais danos. Como se não fosse suficientemente ruim que suas férias românticas tivessem sido desviadas do trajeto original, os demônios agora estão perseguindo todos os seus passos, e está se tornando cada vez mais difícil distinguir amigos de inimigos. À medida que sua busca por respostas se torna cada vez mais complexa, Magnus e Alec precisarão confiar um no outro mais do que nunca - mesmo que isso signifique revelar os segredos que ambos mantêm.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Previsível, envolvente e com um final interessante, Cassandra Clare e Wesley Chu conseguem executar um trabalho respeitoso ao centralizar dois personagens secundários de suas outras séries, tornando 'Os Pergaminhos Vermelhos da Magia' um começo promissor que me deixa com pouquíssimas ressalvas.

Quando Alec e Magnus resolvem tirar alguns dias de férias, o feiticeiro decide apresentar a Europa para seu novo namorado. Mas ao chegar lá, infelizmente, eles se deparam com um cenário nada animador. Sem nem perceber, o casal acaba no meio de uma investigação para tentar impedir que um culto mortal invoque um poderoso demônio e coloque em risco a paz tênue do Submundo mais uma vez.

Narrado em terceira pessoa, o livro vem dividido em três partes, intercalando os capítulos entre Magnus (Cassandra Clare) e Alec (Wesley Chu), e isso deve ser tomado como um ponto extremamente positivo. O fato de não se prender especificamente a um personagem faz com que o leitor tenha uma visão mais ampla de toda a situação, e conheça mais a fundo e individualmente cada um dos protagonistas, embora, claro, seja muito evidente a diferença de escrita de um autor para o outro. Sendo experiente na contação de histórias, Clare se sobressai muito na narrativa. Seus capítulos fluem com mais facilidade, envolvem mais e deixam claro toda a situação na qual o personagem está. Infelizmente o mesmo não acontece com Chu. Seus capítulos finais são confusos e as descrições não situam bem o leitor em relação ao que realmente está acontecendo no momento.

Na realidade, essa é minha primeira ressalva quanto a obra. Por estar narrando os capítulos do personagem Alec, Chu esta envolvido na parte das cenas de ação, o que me levou a ficar um pouco perdido quanto ao contexto de cada cena. Ora o personagem parecia fazer algo, ora parecia não fazer. E em meio a toda correria do momento, não consegui entender muito bem o que realmente se passava ali.

Outro problema também é a personalidade de Alec. Já tendo conhecido o protagonista das outras séries da autora, minha antipatia é quase automática devido a certas atitudes que ele toma nos livros em questão. Sendo esse livro a mediação dos eventos que acontecem em 'Cidade de Vidro' e 'Cidade dos Anjos Caídos', senti dificuldade na hora de visualizar o Alec dessa trilogia causando todas as confusões que viriam a seguir. Inclusive, suas próprias inseguranças parecem muito mais maduras nesse livro do que foram ao longo dos outros três. E essa maturidade para lidar com certas situações, me deixa apreensivo porque o autor desconstrói bastante do personagem insuportável que fui apresentado anteriormente, o que não é ruim, mas cronologicamente falando, torna-se uma falha.

Por fim, minha falta de apego ao casal é o que mais pesa. Embora goste muito da escrita da autora e tenha me aventurado em outras obras dela envolvendo o mundo dos Caçadores de Sombras, Magnus e Alec nunca foram meus favoritos. Entendo a importância representativa deles para o público LGBTQ+, mas ainda sim, não consigo me afeiçoar. Na realidade, o casal em si é super segundo plano para mim. Eu estava muito mais envolvido em saber mais do passado de Magnus ou descobrir as respostas para os mistérios que os autores criam.

Mas não vou negar que o final de imensa revirada me motiva a continuar, felicitando Clare e Chu por não transformarem esse livro em uma bomba fanservice a la 'Corte de Gelo e Estrelas', com cenas e mais cenas de sexo sem necessidade. O tom, inclusive, da trilogia, segue bem semelhante ao das séries mais recentes de Clare, e isso me ganha, não tornando o relacionamento algo cansativo ou repetitivo.

Embora pareça que minha opinião é ruim, devo ressaltar que não. 'Os Pergaminhos Vermelhos da Magia' foi uma leitura mediana e uma boa introdução para o restante da trilogia que está por vir. Com um fanservice bem feito e explorando mais situações no mundo já tão conhecido de Cassandra Clare, essa pode ser uma pedida muito boa para quem é fã e que matar a saudade. Mas recomendo aos leitor iniciante nesse universo, para que tenham uma experiência que não seja prejudicada pela falta de informação, a leitura de pelo menos os três primeiros volumes da outra série da autora, 'Os Instrumentos Mortais'. Embora a obra não vai deixar de situar sobre tudo o que está acontecendo, ainda sim, certos detalhes ou nome de personagens, só pega quem leu antes.


Cassandra Clare nasceu em uma família americana no Teerã, Irã e passou grande parte de sua infância viajando pelo mundo com sua família, incluindo uma caminhada pelo Himalaia quando criança, que foi quando ela passou um mês vivendo na mochila de seu pai. Antes dos seus dez anos de idade ela morou na França, Inglaterra e Suíça. O fato de que sua família se mudava muito, ela encontrou familiaridade nos livros e estava sempre com um livro debaixo do braço. Ela passou seus anos de escola em Los Angeles, onde ela costumava escrever histórias para divertir seus colegas, incluindo um romance épico chamado "The Beautiful Cassandra", baseado na homônima história de Jane Austen.
Após a faculdade, Cassie viveu em Los Angeles e Nova York, onde trabalhou em várias revistas de entretenimento e até mesmo em alguns tablóides bastante suspeitos, onde ela relatou sobre a viagem ao mundo de Brad e Angelina e as avarias do guarda-roupa de Britney Spears. Ela começou a trabalhar no seu romance YA, Cidade dos Ossos, em 2004, inspirada na paisagem urbana de Manhattan, sua cidade favorita. Ela dedicou-se em tempo integral em sua ficção fantasia.
A primeira venda profissional de Cassie foi um conto chamado "The Girl’s Guide to Defeating the Dark Lord", em uma antologia Baen de fantasia humor. Cassie odeia trabalhar em casa sozinha, porque ela sempre se distrai por reality shows e as travessuras dos seus dois gatos, por isso ela geralmente se propõe a escrever em cafés e restaurantes locais. Ela gosta de trabalhar na companhia de seus amigos, que vêem que ela adere a seus prazos.
Atualmente, reside em uma antiga casa vitoriana em Nova Iorque com seu noivo, seus gatos, e lotes e lotes de livros. A triologia The Mortal Instruments tem sido citada em muitas listas de Best-Sellers.

WESLEY CHU nasceu no Taiwan e veio para o Chicago, Illinois quando ainda era criança. Seu livro de estreia, The Lives of Tao, lhe rendeu um Young Adult Library Services Association Alex Award, além de ter concorrido na categoria de ficção científica no Goodreads Choice Award.






21 comentários

  1. Oiii Emerson

    Eu adoro o casal nos livros principais, aliás da sagados Instrumentos Mortais eu gosto realmente de todos os casais, embora Izzy e Simon sejam meu xodó. Eu tenho uma empatia grande pelo Magnus e pelo Alec tb, não gostava tanto do Alec no começo mas fui aprendendo a gostar com cada livro da outra série, mas...eu saturei total desse universo da Cassandra. Li a saga dos Instrumentos, li a outra trilogia do Will e da Tessa, li a da Emma e do Julian e agora sinto que já deu sabe, nem esse novo que ela publicou Chains of gold, consegue me chamar a atenção mais e acho que provavelmente nem vou ler.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ivy!
      Eu super entendo. Eu nem terminei o da Emma e do Julian. Fiquei decepcionado com o 2, ai larguei. Mas li Chain Of Gold e mds, AMEI. De uma chance, os caçadores de epoca são os melhores, nem tenho duvida.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  2. Oi, Emerson! Tudo bom?
    Ao mesmo tempo em que eu amo Malec, sei e concordo com todas as problemáticas que já foram apontadas sobre eles em TMI (bifobia do Alec, o Magnus 100% esteriotipado como bi e como personagem poc). Acabei não tendo vontade pra voltar pra esse mundo e nem pros livros da CC num geral. Talvez leia Chain of Gold esse ano, mas não é certeza.
    E tudo que tu apontou no livro provavelmente me irritaria muito mais UHUHASUHASUHASUHASUH

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu dei uma chance por alto Nizz, mas nunca fui fã deles, confesso. Prefiro os Caçadores de Epoca. So li esse porque acabei recebendo de parceria, mas passa bem longe do radar se eu vou continuar ou nao. Quem sabe.
      Espero que leia Chain Of Gold, é MUITO BOM. Pra mim uma das melhores obras dela.

      Abraços
      Emerson
      http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

      Excluir
  3. Oi
    eu só li um livro da autora até hoje, preciso ler outros, uma pena que acabou não sendo uma leitura tão boa, ainda mais pelos personagens, pelo menos no geral curtiu a leitura. Foi bom ler sua resenha e ver uma opinião diferente do casal.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nao curto muito o casal De, então acho que o problema principal é esse.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  4. Oi Emerson, meu amigo, infelizmente, eu já desisti de ler os livros da autora, mas espero que você curta os próximos!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKK não julgo Mi. Livro demais. Eu teria preguiça se fosse hoje em dia pra começar do zero.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  5. Eu amei tanto esse livro!!! Achei ele super leve e sabia que não seria a mesma coisa que ler os livros da Cassie, mas não pude deixar de me apaixonar pelo casal. Não gosto tanto do Alec, mas amo o magnus e amei o desenvolvimento deles como casal. Também gostei da interação de outros personagens no livro e estou bem ansiosa para o próximo.

    Abraço

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amo o Magnus Ley. Na realidade, ele é o ponto alto do livro inteiro num tem nem como negar isso. Até os capítulos dele são muito mais interessantes. Mas sim, o casal tem uma quimica interessante. To curioso pela reviravolta no final.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  6. Oi Emerson,
    Eu não sou muito fã da Cassandra, mas se tem um casal que eu amo é Magnus e Alec. Para mim, dos Caçadores de Sombras é meu shipp favorito! Por isso, até arriscaria essa leitura.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não gosto muito deles em si Ale, confesso. Prefiro o Magnus como personagem solo, mas de fato eles tem quimica. É so que algumas atitudes do Alec me irritam demais.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  7. Olá, Emerson.
    Eu vou na contramão do povo. Hoje mesmo eu estava olhando para a estante e pensei em reler os livros para dar continuidade a série que parei no quarto de Os Instrumentos Mortais hehe. O ruim de voltar no tempo é que fica essa discrepância na personalidade dos personagens mesmo, tem que tomar muito cuidado com isso.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sil eu nao nao julgo parar no 4. Aquele livro é muito ruim KKKKKKKKKKKK. Eu quase abandonei a série nele.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  8. Como sou mais influenciada pelo Malec da série, eu curti demais esse livro... por incrível que pareça, estou ansiosa pela continuação
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Eu só li pela Priscila, mas não me arrependi. Foi legalzinho. Se eu continuar vai ser pelo final em si nem vou mentir KKKK. E pelo humor do Magnus.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  9. Oi, Emerson

    Que pena essa tua questão com o casal, é chato quando isso acontece. Eu não me interesso pelos livros da autora e até este momento nem sabia quem era esse autor. Rs
    Pelo menos, apesar das ressalvas, você não desanimou a seguir em frente e é isto.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamo ve no que da Tami KKKKKKKKKKKKK. O plot final foi interessante pq resgatou uma coisa la da serie principal e pelo jeito ela vai esclarecer.

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  10. Gostei muito da sua resenha. Eu cheguei a conhecer a série mas não a assisti.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A série e bem diferente dos livros. Com todo os altos e baixos, eu prefiro os livros

      Abraços
      Emerson

      Excluir
  11. Oi Emerson! Eu amo demais este universo que a autora criou e ainda não houve um livro que tenha me decepcionado. Os protagonistas deste aqui são personagens que sempre me encantaram ao longo da série principal e estou curiosa para saber sobre suas novas aventuras. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir

Expresse-se