Coluna: Na Tela #65!

"Diretamente de uma telenovela, certo?"

Minha última indicação foi uma comédia musical, e dessa vez, eu gostaria de trazer uma comédia a lá drama mexicano de telenovela. Vamos falar um pouco dessa delícia que é ‘Jane The Virgin’.



Sinopse: A jovem católica Jane Villanueva descobre que foi inseminada artificialmente por acidente. Grávida, mas ainda virgem, ela se vê em um triângulo amoroso com o namorado Michael Cordero e o dono do sêmen que a fecundou, o empresário Rafael Solano.

 


Elenco: 
Gina Rodriguez (Jane Gloriana Villanueva), Andrea Navedo (Xiomara “Xo” Gloriana Villanueva), Justin Baldoni (Rafael Solano), Yael Grobglas (Petra Solano), Ivonne Coll (Alba Gloriana Villanueva), Brett Dier (Michael Cordero Jr.), Jaime Camil (Rogelio de la Veja), Elias Janssen (Mateo Gloriano Rogelio Solano Villanueva), Anthony Mendez (Narrador), Yara Martinez (Dr. Luisa Alver), Bridget Regan (Rose), Mia Allan (Anna Solano), Ella Allan (Ellie Solano), Carlo Rota (Emilio Solano), Michael Rady (Lachlan Moore) e Diane Guerrero (Lina Santillan). 

Jane The Virgin’ foi uma série exibida pelo canal CW e criada por Jennie Snyder Urman em 2014, tendo seu final em julho de 2019. A série foi baseada em uma telenovela venezuelana chamada ‘Juana la Virgen’. Ao todo a série possui 5 temporadas e exatos 100 episódios na clássica duração de 45 minutos aproximadamente. 

Primeiro queria contar para vocês minha história com esse seriado. Eu sempre via a fotinha dela nos sites de legenda quando ia buscar a de alguma série que acompanho, mas nunca dei bola. Ai esse ano estava eu bem de boas quando a Netflix ficava constantemente mostrando o trailer dela, até que certo dia resolvi ver e fui pego! Não pude resistir e fui ver o primeiro episódio. Foi amor a primeira vista. Quando dei por mim, já estava no terceiro episódio e não conseguia mais parar de ver até que maratonei todos os episódios. 

Agora, vamos falar da série propriamente. O seriado explora bastante a veia telenovelesca e faz isso de uma forma bem satírica. Em muitos os personagens falam como nas telenovelas, há momentos surreais como o aparecimento de um irmão gêmeo e isso vai e acontece, bem como muitos outros clichês dos dramas mexicanos (um adendo que aqui vou me referir as novelas mexicanas porque é meio que um senso comum que elas são bastante exageradas e cheias de reviravoltas, mas aplica-se à basicamente a toda produção telenovelística). Por falar nisso, a série é repleta de metalinguagem, seja nas referências às telenovelas ou nas referências a livros (essa você só vai pegar no final). 

As atuações não deixaram a desejar um minuto sequer. Todos os personagens tem suas personalidades que te faz se apegar à eles de forma bem profunda. Te fazem emocionar, rir e surtar junto com eles. Quero inclusive destacar a atuação de Gina Rodriguez que meu pai do céu! Eu não consigo imaginar outra pessoa sendo a Jane. Ela trouxe um brilho e um carisma especial para a personagem que só de ouvir o nome você vai imediatamente lembrar dela e todas as suas expressões e trejeitos durante as temporadas. 

Não sei se já falei aqui, mas eu torço o nariz quando vejo triângulo amoroso. Hollywood empurra isso sempre que pode para trazer “emoção” para a produção. As vezes funciona, as vezes não. Contudo, em ‘Jane The Virgin’ o triângulo funciona muito bem com Michael e Rafael trazendo dinâmica para a história de Jane. Apesar de achar que foi bem trabalhado, quero deixar claro aqui que sempre fui #Team Rafael. 

Não posso me esquecer de falar de dois aspectos que a série aborda; mensagens muito importantes. Primeiro: ela trabalha bastante as relações familiares e como algumas pode ser tóxicas enquanto que outras acabam sendo tão importantes para estruturar sua vida. 

A outra mensagem é o velho clichê de correr atrás dos seus sonhos. A série foca bastante no sonho de Jane de ser escritora, afinal, ela é a protagonista, contudo, também vemos bastante dos outros personagens, realizando seus próprios desejos, independentemente da idade ou de qualquer outra coisa. É sempre importante correr atrás dos seus sonhos e daquilo que te faz feliz. 

Tem muitas coisas que eu gostaria de falar sobre a criança que Jane estava esperando, sobre muitas outras coisas que ocorrem durante a série e principalmente sobre a finale e de como ela foi linda e fechou o ciclo da história, mas não quero trazer spoilers aqui. Todas esses detalhes são melhores de você vê enquanto acompanha. 

AVALIAÇÃO

Tenho certeza que você vão gostar, “mas estou me adiantando”, então quero jogar a bola para vocês e saber se já conheciam ou se ficaram com vontade de conhecer. E caso já tenha visto, quero saber o que acharam da série e se pegaram as referências que joguei no texto. Contem-me! Até a próxima série. 

(Ah, vou deixar aqui uma imagem que vai deixar vocês na dúvida se ela acabar com o Rafael ou com o Michael) 


Postar um comentário

4 Comentários

  1. Ahhh! Essa série é um amorzinho. Muito bem construída e a narração do narrador é incrível. Ainda não vi a temporada final, mas estou ansioso.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  2. Olá, Anderson.
    Eu assisti a ultima temporada no mês passado e terminei em lágrimas. Sou time Rafael, mas o que mais me emociona nessa história é a ligação entre a avó, filha e neta.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Saudades de assistir Jane, eu acompanhava conforme os episódios iam saindo, adorava ver a relação dela com sua família, principalmente com sua mãe e sua avó, depois aparece o Rogelio e é engraçado e em alguns momentos até meio sem noção, já assisti inclusive novelas mexicanas com o ator.
    Que bom que gostou de assistir a série.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oiii Anderson

    Ah eu adoro Jane the virgin, assisto aos poucos por falta de tempo e preciso chegar até o final, acho a série uma graça, as atuações são muito perfeitas e o triângulo amoroso, nesse caso, realmente funciona mesmo.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir

Expresse-se