Coluna: Invasão Otaku #4!




Alguém ai falou em animes que rompem preconceitos? Então que tal mais um mangá meio Yaio, com romance homo afetivo? O Olímpico Literário separou mais uma super indicação, desta vez, de um dos animes mais badalados do final do ano passado para nossa amiga Lena, No.6. Já conhece? A série composta de nove volumes, escrita por Atsuko Asano e publicada pela editora Kodansha entre outubro de 2003 e junho de 2011, ganha uma adaptação um anime de onze episódios, produzido pelo estúdio Bones, que foi ao ar em julho de 2011.

Em sua trama somos apresentados a No.6 uma espécie de cidade utópica e moderna, onde todos os seus moradores tem um bom estilo de vida. Shion mora lá com sua mãe, e, por atingir excelentes notas em suas avaliações e por ter ganho diversos prêmios, ele consegue moradia na parte mais rica da cidade. Em seu aniversário de 12 anos, Shion é tomado pelo impulso e grita da janela de sua casa no meio de uma forte chuva. Ao gritar, chama a atenção de Nezumi ("Rato", em português), um garoto que está fugindo para se salvar. Aproveitando-se da janela aberta da casa do rapaz, Nezumi entra no seu quarto e Shion, ao contrário do que se poderia imaginar, não o denuncia apesar de logo depois descobrir que o garoto é um fugitivo "perigoso", ajudando o mesmo assim com alimentos. Nezumi desaparece no dia seguinte e Shion acaba sendo interrogado por ter salvado o fugitivo. Ele perde os seus benefícios e passa a morar com sua mãe na parte baixa da cidade. Shion não mais estuda numa escola de elite, e passa a ser servidor público, trabalhando na vigilância de robôs de limpeza. Quatro anos após ter se encontrado com NezumiShion e seu companheiro de trabalho, ao verificarem as câmeras dos robôs, encontram um corpo. Um parasita parece infestar a cidade e, suspeitando de uma conspiração, Shion dessa vez é capturado por agentes do governo. No entanto, Nezumi o salva e eles escapam da No.6Shion então descobrirá os segredos mais profundos de No.6 junto de Nezumi, e assim, a história de batalhas internas e externas e descobrimento do amor começa. Para os amantes de distopia, este e com certeza um anime imperdível. Além das incontáveis críticas sociais, já se vê também um centralização no preconceito contra homoafetivos.

Uma pedida imperdível, com poucos capítulos.

Confira só algumas imagens:










Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se