12 agosto 2017

Resenha #154 - Um Romance Perigoso!




Título: Um Romance Perigoso
Autor: Flávio Carneiro
Editora: Rocco
Ano: 2017
Especificações: Brochura |288 páginas
ISBN13: 9788532530653
 Sinopseq
Depois de O campeonato e O livro roubado, Flávio Carneiro põe a dupla André e Gordo no centro de uma nova trama policial com sotaque carioca. Em Um romance perigoso, o detetive particular e o amigo, dono de um sebo na rua do Lavradio e apaixonado por literatura policial, seguem o rastro de um serial killer que está matando autores de autoajuda e deixando o mercado editorial, e toda a cidade, em polvorosa. E não se trata de um assassino qualquer, mas de um leitor dedicado do escritor norte-americano Dashiell Hammet, pois a cada crime ele deixa uma pista que faz alusão aos livros do autor. Entram em cena, então, um alfaiate e exímio conhecedor da obra do autor de O falcão maltês e outros clássicos do romance policial, um taxista dono de um motel-fazenda no interior do estado onde um dos crimes acontece e outros personagens improváveis que circulam como peças num tabuleiro de xadrez por um Rio de Janeiro ao mesmo tempo solar e noir.
Cortesia Grupo Editorial Rocco 

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



André é um detetive não muito conhecido que tem um escritório sobre um sebo na Lapa. O dono do sebo é Gordo, que se considera seu ajudante. Depois de ler o jornal da manhã André descobre que um famoso escritor de livros de autoajuda foi assassinando em um quarto de hotel depois de uma sessão de autógrafos com uma injeção de estricnina, a injeção deixa o cadáver com o corpo destorcido e um sorrido grotesco na cara (como o do coringa), no quarto temos a palavra X9 escrita com tinta vermelho sangue e um livro intitulado A Irmãzinha ao lado do corpo. Com menos de uma semana outro escritor é assassinado em sua casa no meio de uma festa com 200 convidados, com a mesma injeção que o anterior e um pedaço de papel escrito “A CEIA” em seu bolso, novamente o livro A Irmãzinha. Isso atiça a curiosidade do detetive, principalmente após saber sobre a recompensa para quem desvendar o mistério no valor de R$50,0000. É dai que André resolve investigar o mais novo serial killer, tentando ligar um autor a outro para desvendar o assassino e o motivo.

Flávio Carneiro criou um personagem bem legal, inteligente e ágil; e o melhor: gosta de ler e nos recomenda várias leituras. Para quem gosta de romance policial e um pouco de mistério, 'Um Romance Perigoso' é um prato cheio, tendo um enredo conciso, personagens cativantes e inteligentes e uma clima meio 'Sherlock' que faz você teorizar mais e mais a cada página.

Esse foi o primeiro livro que leio em que a história se passa em uma cidade tão conhecida como o Rio de Janeiro. A descrição feita pelo autor é maravilhosa e o mesmo tem um grande talento para entrelaçar um acontecimento a outro sem deixar nada se perder. Sua trama é envolvente e muito verdadeira, de forma que todas as pistas jogadas durante o desenvolver da romance não parecem forçadas ou foras da realidade. Pelo contrário, tudo vai realmente se encaixando lentamente ao longo da leitura, e atiçando mais e mais a curiosidade do leitor. Não conhecia o autor, mas pode ter certeza que os seus outros livros vão entrar na lista de “quero ler”. Sua escrita é fluída e muito viciante. Não conseguia parar uma só página enquanto as respostas não me eram dadas.

O livro é narrado em primeira pessoa, na visão do André, de forma que conhecemos melhor o personagem e seus pensamentos. Eu pelo menos achei muito interessante trazer essa proximidade do leitor com o protagonista, até para que pudêssemos mergulhar em seus pensamentos com mais intimidade.

De toda a obra, somente um ponto não me agradou: alguns momentos não consegui identificar quem estava falando; se era André ou Gordo (não sei se é um problema na narrativa ou eu que estava desatenta) devido talvez ao uso de aspas ao invés de travessões para marcar os diálogos. Mas pode ter sido apenas desatenção minha. De toda forma isso não afeta meu envolvimento com a história e meu novo vicio pelo enredo do autor.

O que tenho para falar sobre o livro? Leia, pois sei que vai se surpreender como eu. História bem light que nos faz fica preso cada vez mais na narrativa. Classificação de quatro estrelas.


Flávio Carneiro nasceu em Goiânia, em 1962, e mudou-se para o Rio de Janeiro no início dos anos 80. Desde 2003, mora em Teresópolis, região serrana do estado. Escritor, crítico literário, roteirista e professor de literatura da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), publicou treze livros e escreveu dois roteiros para cinema. Como ficcionista, é autor de um livro de contos, três romances e cinco novelas para crianças e jovens. Participou também de algumas antologias, como Os cem menores contos brasileiros do século (São Paulo: Ateliê, 2004, org.: Marcelino Freire), com o mini-conto "Na sala de espelhos", e 22 contistas em campo (Rio de Janeiro: Ediouro, 2006, org. Flávio Moreira da Costa), com o conto "Penalidade Máxima". Como ensaísta, é autor de três livros e diversos artigo




2 comentários:

  1. Olá, Elizane.
    Falou em mistério e detetive eu já me interesso me ler e esse me pareceu ser muito bom. Já fiquei aqui querendo saber mais sobre os assassinatos. Eu não sou muito fã de aspas no lugar dos travessões, mas quando a história prende a gente nem percebe hehe. Parabéns pela resenha.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Expresse-se