Resenha #174 - Dorothy Tem que Morrer (Dorothy Tem que Morrer Vol 1)!






Título: Dorothy Tem que Morrer
Coleção: Dorothy Tem que Morrer Vol 1
Autora: Danielle Paige
Editora: Rocco
Ano: 2016
Especificações: Brochura | 384 páginas
ISBN: 13: 9788579802737
 Sinopse
Primeiro de uma série, Dorothy tem que morrer engrossa um filão de sucesso no mercado editorial, no cinema e na TV: o reconto de clássicos infantis com nova roupagem para os jovens. Nesta releitura sombria do clássico de L. Frank Baum O mágico de Oz, Amy Gumm é uma nova garota do Kansas, que, em meio a um tornado, é enviada à terra de Oz com a missão de remover o coração do homem de lata, roubar o cérebro do espantalho, tomar a coragem do leão e destruir a garota dos sapatinhos vermelhos. Livro de estreia de Danielle Paige, Dorothy tem que morrer chega ao Brasil depois de figurar na lista dos mais vendidos do The New York Times.
Cortesia Grupo Editorial Rocco


************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Adentrando o universo dos recontos, Danielle Paige traz ao público YA uma nova maneira de enxergar o confuso e deslumbrante mundo de Oz. Com uma pegada mais pesada, personagens circulares e uma mitologia com potencial, "Dorothy Tem que Morrer" é um livro razoavelmente bom, tendo uma escrita fluída e eventos que fazem o leitor mergulhar por suas páginas e se manter atento aos próximos eventos dentro da obra.


Amy é uma garota excluída. Perseguida na escola por não conseguir se encaixar e mal tratada pela mãe que acredita que sua maternidade foi um erro Amy acaba basicamente viver por viver, almejando o dia em que deixara o Kansas e poderá perseguir suas próprias ambições. Mas o destino reserva surpresas que ela jamais poderia esperar. Quando um tornado arrasta seu trailer/casa, ela acaba indo parar em uma terra esquisita, ja tão conhecida por tantos: Oz. O que Amy não esperava era encontrá-la tão devastada e tudo isso por culpa de Dorothy. Agora a garota e aliados improváveis precisaram combater o que um dia foi bom. Em um mundo onde as leis e ideais humanos não se aplicam corretamente, quem você seria se não apenas mais um vilão?

A pegada e o intuito de Paige com essa história é interessante e envolvente. "Dorothy Tem Que Morrer" é um reconto diferente de todos os outros que já li. Além de deixar bem claro quais elementos e personagens da fábula ela esta focando, o ambiente criado pela autora não apresenta mocinhos. Na realidade, todo mundo e vilão, a certa maneira, seguindo uma motivação diferente, lutando por seus desejos. Fora que a protagonista é cheia de defeitos e incapacidades. Em boa parte da obra ela precisa de uma pessoa que a ajude lidar com situações perigosas.

Narrado em primeira pessoa, pessoalmente, esse foi o maior erro da obra para mim. Embora seja ótimo mergulhar e seguir alguns personagens, tendo seu ponto de vista bem mais próximo, aqui, infelizmente essa ideia não ficou bem executada. Amy não é uma personagem muito interessante. Esta sempre sofrendo por alguma coisa, ou se amargurando. Esse fato cria certos capítulos que não fazem a menor diferença na trama. Fora que o contexto no geral, com todo o mundo de Oz para explorar parece mil vezes mais interessante do que perder tempo apenas nas lamentações da personagem principal.

"Dorothy Tem Que Morrer" é um primeiro volume regular, sem grandes promessas. Especificamente não consegui me apegar ou me identificar com personagem algum, embora quisesse. Os poucos detalhes por parte da autora em alguns personagens que não sejam a protagonista e o fator da narração me levam a enxergar essa obra com menos nota do que ela realmente poderia ter, mas isso não torna a história menos interessante. Paige tem uma maneira peculiar de construir uma Oz digna dos filmes de Tim Burton, com cenas violentas e chocantes, prometendo continuações promissoras.



Danielle Paige é graduada na Universidade de Columbia e autora da série Dorothy Must Die. Antes de contribuir para a literatura jovem adulta, trabalhou na indústria televisiva, onde recebeu um Writers Guild of America Award e foi nomeada para vários Daytime Emmys. Ela vive atualmente na cidade de New York.



4 comentários

  1. Oi, Lena!
    Menina, ultimamente ando preferindo fantasias narradas em terceira pessoa.
    Sua resenha já vai me deixar preparada para a personalidade da Dorothy... espero que isso não me atrapalhe na leitura.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oi Lena, eu acho muito bacana novas visões sobre Oz, é um universo que sempre cabe releituras. Apesar das ressalvas que eu levo muito em consideração, parece um livro interessante!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lena.
    Eu até me interessei por esse livro quando lançou, mas depois vi o tamanho da série e acabei desistindo hehe. Sou muito mais terceira pessoa, odeio ser enganada por quem está narrando hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oiii Lena

    Eu até gostei bastante do primeiro livro, me surpreendeu a originalidade da autora e como nunca havia lido nada de Oz achei bem interessante. O segundo livro decai bastante, centra demais em poucos personagens e não foi tudo aquilo, mas ainda quero terminar a série.

    Beijs

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir

Expresse-se