Cinema #42 - Maze Runner: A Cura Mortal!






Título: Maze Runner - A Cura Mortal
Gênero: Ficção Cientifica
Direção: Wes Ball
Elenco: Kaya Scodelario, Dylan O´Brien, Walton Goggins, Nathalie Emmanuel, Katherine McNamara, Thomas Brodie-Sangster, Rosa Salazar
Roteiro: James Dashner, T.S. Nowlin
Produção: Ellen Goldsmith-Vein, Lee Stollman, Wyck Godfrey
Duração: 144 min.
EstúdioGotham Group, Temple Hill Entertainment, Twentieth Century Fox Film Corporation
 Sinopse: No final épico da saga Maze Runner, Thomas lidera seu grupo de Clareanos em fuga em sua missão final e mais perigosa até então. Para salvar seus amigos, eles devem invadir a lendária Última Cidade, um labirinto controlado pela CRUEL que pode vir a ser o labirinto mais mortal de todos. Qualquer um que o complete vivo, receberá respostas às perguntas que os Clareanos têm feito desde que chegaram ao labirinto.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Uma trilogia eletrizante, com um final surpreendente e muito bem estruturado. Ao longo de três filmes, a franquia 'Maze Runner' conseguiu se consagrar nas telonas, trazendo um enredo consistente, personagens imprevisíveis e uma mensagem importante para a reflexão final: até onde você iria para proteger a raça humana?


Nesse terceiro volume da franquia, Thomas (Dylan O'Brien) e seus amigos estão prestes a iniciar seu último ataque ao CRUEL. Para vencer o inimigo e tentar conseguir paz, eles necessitaram invadir uma cidade quase impenetrável, correndo risco a cada novo passo nessa jornada incerta onde nem todos podem retornar com vida.

Acho que o fator que transformou 'Maze Runner' em uma trilogia que se deu tão bem no cinema, foi a ideia de que os roteiristas não tinha medo de arriscar em tentar expandir mais o universo já existente na obra da qual o filme foi adaptado. Assim como 'Jogos Vorazes', essa franquia ousa muito mais que os livros, explica muito melhor o contexto que esses personagens estão inseridos e ainda adiciona uma pitada de jogos mentais, traições e poder de influência para justificar todas as maldades e atrocidades que vão se sucedendo ao longo da trilogia. 'A Cura Mortal' foi um filme eletrizante do começo ao fim, não dando espaço para que sequer o telespectador tenha tempo de sentir-se cansado. São cenas de ação sob cenas de ação, nada se torna repetitivo ou sem lógica, na realidade, o contexto não poderia estar mais adequado nesse terceiro filme, que em minha opinião, foi o melhor dos três. Embora falhe um tanto na hora que o foco é especificado aos personagens, pelo motivo de não dar mais espaço de tela a eles, o longa não é apelativo ou chato, pelo menos, não para mim. Foi divertido e sufocante acompanhar os passos finais de Thomas e dos Clareanos.

Dylan O'Brien nasceu para viver esse personagem. Sua interpretação é magnifica do começo ao fim, não deixando de transparecer uma só emoção, mesmo com toda a pressão que está constantemente afetando o protagonista. Gosto de suas atuações porque ele é sempre muito caricato, e representa bem todos sentimentos que a cena pede. 
O mesmo pode-se dizer do vilão de Aidan Gillen (Homem Rato) que bancou até o último minuto como alguém realmente desprezível e odioso. Sua participação nesse longa foi ainda maior e com certeza marcou as cenas mais chocantes que o filme poderia trazer.


Em resumo, o cast inteiro da franquia trabalha muito bem. Eles possuem uma química inegável quando estão em cena juntos, a exemplo de O'Brien com Thomas Brodie-Sangster (Newt) ou com Kaya Scodelario (Teresa); ou Sangster com Ki Hong Lee (Minho). Até mesmo Rosa Salazar, que não tinha tido a oportunidade de aparecer mais no segundo volume, quando esperavam um foco extenso em sua personagem, conseguiu mostrar uma ótima atuação na pele de Brenda. E sua química com Giancarlo Esposito (Jorge) tornam a dupla imbatível.



Dessa forma, 'Maze Runner - A Cura Mortal' já é uma das minhas trilogias distópicas favoritas não só no cinema, mas também na literatura. A temática pesada, o pouco apego aos personagens principais e a  forma realística de como tudo é contado, me fazem garantir que essa não será a última vez que irei vê essa trama, pelo contrário, é um filme para  rir, se emocionar e ainda se angustiar com cenas atrativas e recheadas de ação.


8 comentários

  1. Oi, Emerson!
    Eu amo a Brenda e é isso. Adoro essa relação dela com o Jorge e fiquei feliz que eles apareceram bem mais
    Dylan é meu marido e não tenho nada a reclamar.
    No mais, filmão da porra e quem concorda respira haahhaha
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da Folia Literária 2018: cinco kits, cinco sortudos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
      QUEM CONCORDA RESPIRA!

      Abraços

      Excluir
  2. O que mais se comenta na blogosfera é sobre esse filme hahaha.
    Eu ainda não assisti aos dois primeiros, mas quero conferir.

    Beijos,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nat!
      Espero que consiga assisti-los. É uma trilogia muito boa.

      Abraços

      Excluir
  3. Eu li o primeiro livro e na época se tornou uma das minhas distopias favoritas.
    Achei que o filme perdeu algumas coisas, mas também ganhou em muitas.
    Não gostei muito de como caminhou a história, mas vou conferir o final.

    Beijo
    http://eu-ludmilla.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lud!
      Entendo. Já eu prefiro a franquia no cinema. Gosto muito do segundo e do terceiro livro, mas o primeiro eu achei chato, por muito pouco não desisti da trilogia. Prefiro o enredo dos filmes. Acho mais redondo e bem explicado.

      Abraços
      David

      Excluir
  4. Eu tô muito ansiosa para assistir esse filme, só pelo trailer já vi que vai ter muita ação e muito Dylan O'Brien fazendo altas cenas, hahah Tô aqui na empolgação :))
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Betânia!
      Tem sim, ação e Dylan O'Brien pra ninguem sentir falta kkkk. Vá com fé.

      Abraços
      David

      Excluir

Expresse-se