Resenha #198 - O Chamado (Endgame Vol 1)!





Título: O Chamado
Coleção: Endgame Vol 1
Autores: James Frey, Nils Johnson Shelton
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Especificações: Brochura | 504 páginas
ISBN: 
13: 9788580571868
 Sinopse
A história começa há doze mil anos, quando seres poderosos desceram do céu entre fumaça e fogo e criaram a humanidade, deixando-nos regras segundo as quais viver. Precisavam de ouro, e, para extraí-lo, instalaram aqui as doze linhagens que deram origem às nossas antigas civilizações. Quando conseguiram o que queriam, foram embora. Mas avisaram que um dia retornariam e que, quando isso acontecesse, seria para o Jogo. O Jogo que determinaria nosso futuro. Os Jogadores terão que achar três chaves, que estão espalhadas pelo planeta. Quem achá-las primeiro ganha. Endgame: O Chamado acompanha a busca dos doze Jogadores pela primeira chave.
E não para por aí: o livro contém um enigma. Um enigma que convida o leitor a jogar seu próprio Endgame. Quem encontrar a solução primeiro ganhará uma mala cheia de ouro. Em adição ao enigma estará disponível um jogo on-line revolucionário desenvolvido pela Niantic Labs, empresa associada ao Google e responsável também pelo jogo Ingress.
A trilogia Endgame é um projeto multiplataforma de alcance mundial. Além da publicação pela Intrínseca dos livros impressos e novelas em e-book a primeira delas com lançamento previsto para dezembro de 2014 , um jogo para celular será desenvolvido pela Niantic Labs (empresa associada ao Google) e estão previstas adaptações para cinema e tevê.
Nas páginas do livro há pistas que permitem ao leitor participar de uma competição que dará ao vencedor um prêmio em ouro. Para participar da competição, é necessário ler o livro e os e-books da série, acesso à internet, uma conta padrão do Google e conhecimento do idioma inglês. As regras oficiais da competição estão disponíveis no website oficial. O conteúdo do website oficial e conteúdos diversos relacionados à competição estão ou poderão estar em inglês ou em outros idiomas.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Brutal, cheio de cultura e um verdadeiro poço de mega personagens, 'O Chamado' é um primeiro volume para ninguém colocar defeito, presenteando os leitores de James Frey com uma ficção científica cheia de mistérios e adrenalina.


Doze mil anos atrás, seres com poderes além da compreensão desceram do céu e criaram a humanidade, deixando-lhe regras segundo as quais deveriam viver. Desses primeiros seres, floresceram doze linhagens das antigas civilizações que colonizaram nosso mundo em seus primeiros estágios, vivendo cada um ao seu jeito. Entretanto, para manter um nível aceitável de humanos, os seres voltariam ao planeta quando necessário para iniciar um jogo perigoso que colocaria as 12 linhagens para competir entre si mesmas. Para vencer, o jogador precisa localizas as três chaves que estão espalhadas pelo planeta, valendo de tudo para consegui-la.

Essa é uma sinopse bem superficial sobre a obra e o máximo que eu me arriscaria a contar. Na realidade, o interessante desse livro é começá-lo a lê-lo assim, sem saber quem são especificamente esses jogadores ou o que é esse jogo. Pouco é dito, e muitos mistérios ficam no ar, mas os autores mesclam com muita inteligência todas as dosagens de arcos dentro da obra. Frey e Shelton não são menos que brilhantes na elaboração de uma ficção-cientifica tão angustiante e recheada de conhecimentos. São diversos momentos em que somos apresentados a cultura desses povos antigos, seus costumes, doutrinas, crenças e isso é magnifico. Temos uma variedade representativa gritante por toda a obra. Com 12 personagens variados, intercalando seus capítulos entre eles, "Endgame' é com certeza uma trilogia promissora e viciante, atiçando a curiosidade do leitor muito antes da primeira página.

Achei a construção dos personagens magnifica. Apesar de bem grande, o livro passa boa parte focado na ação pela busca das chaves, e em um primeiro olhar, devido ao número gritante de protagonistas, você pode até ficar apreensivo. Adianto que não precisa ficar. Os autores trabalham muito bem todos os personagens introduzidos dentro da obra. A forma como eles vão se envolvendo, suas diferenças evidentes na forma de narrar, de agir; sua humanidade posta em jogo a todo instante. É difícil não torcer por alguns e desejar a morte de outros. Frey e Shelton trabalham diversos dramas em diferentes núcleos postos em diferentes situações e fazem isso com maestria. Sem dúvidas, Sarah, uma das jogadoras, é minha favorita, e talvez essa seja o pilar central dessa trilogia, mas outros se ressaltam também como Chiyoko, Shari, Jago e Alice. O desenvolvimento e o feedback desses personagens foram os que mais se ressaltaram para mim, e mesmo que alguns tenham uma índole duvidosa, você ainda sim, consegue torcer para que tudo fique bem com eles.

A obra também possui uma edição cheia de imagens abstratas, que creio eu que sejam espécies de artes feitas por esses povos que são citados. E eu achei incrível. A quantidade de informações histórica que o livro trás é assustadoramente deliciosa. Os autores não só exploram todo o seu enredo com muita dignidade, como também fornecem ao leitor uma viagem pela história de diversos países. E devo adiantar que esse é um ponto bastante interessante; diversas mitologias para conhecer e se aprofundar. Fora todo o cenário sobrenatural e violento ao qual estão impostos. Se eu tivesse que criar uma comparação para esse livro, eu diria que é uma mistura de 'Jogos Vorazes' com qualquer filme sobre atividades alienígenas.

Então ressalto que James Frey conseguiu mais uma vez me cativar em uma história criada por ele. 'O Chamado' é um primeiro volume com um toque suave de vicio instantâneo e curiosidade arrebatadora. Diversas peças são fornecidas ao leitor enquanto vamos mergulhando nesse jogo e tentando encaixá-las, simpatizando e antagonizando com seus personagens realísticos e situações de puro estresse e emoção.


Nasceu em São Francisco, em meados dos anos 1970, e viveu lá com seus pais, quando fez quatro anos sua família se mudou para a Nova Iorque. Recebeu uma licenciatura em Inglês, o que levou a uma carreira muito bem sucedida em publicidade como editor de vídeo, cinema e artista de Motion Graphics.



Pittacus Lore é o pseudônimo usado por James Frey e Jobie Hughes. Juntos eles escreveram a série Os Legados de Lorien, traduzida aqui no Brasil pela Editora Intrínseca. James Christopher Frey nasceu em 12 de setembro de 1969 é um escritor americano. Ele foi o tema de um escândalo quando os investigadores descobriram que os principais elementos de The Million Little Pieces , um livro de memórias, eram inventadas. Jobie Hughes nasceu em 9 de julho de 1980 é um americano escritor. Hughes nasceu em Renton, Washington , mas a partir dos três anos foi criado em Spencer, Ohio . Em 1998, enquanto estudava Black River High School em Sullivan, Ohio , tornou-se campeão estadual no wrestling, um tipo de luta. Ele freqüentou a Universidade de Ohio com uma bolsa de estudos, formou-se em 2002, e ganhou um diploma de mestrado em Escrita Criativa da The Columbia University School of the Arts em 2009. Ele atualmente vive em Michigan.


8 comentários

  1. Oi
    eu quero muito ler essa trilogia, sou bem curiosa, pois falam super bem dela e a sua foi mais uma, que bom que achou a história bem construida.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise!
      Vale cada minuto da leitura. É um livro muito bom!

      Abraços
      David
      https://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

      Excluir
  2. G-zuis, tô morrendo de vontade de ler agora, nem terminei de ler sua resenha para não levar spoiler. Quando eu conseguir ler, volto aqui para terminar de ler a resenha U_U.

    Nanda, Gravado na Memória

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda!
      Espero que goste! Mas podia ler a resenha. Quando tem spolers eu aviso :) Volte mesmo pra gente comentar

      Abraços
      David

      Excluir
  3. Olá, David.
    Logo que comecei a ler a resenha já pensei em Jogos Vorazes hehe. Eu tenho esse livro aqui em casa, ganhei em um sorteio, mas nem sabia sobre o que era o livro. Vou aguardar suas resenhas dos próximos volumes para saber se compro os outros e começo a ler hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      Acho q esse ano eu devo ler o segundo ainda. To muito curioso pra saber o que vai acontecer. So fico triste pq o terceiro não vai ser mais publicado aqui :( Ai fico com o pé atrás de ler o segundo e depois não saber como termina.

      Abraços
      David

      Excluir
  4. Tenho esse livro mas ainda n li, td mundo fala super bem
    Parece ser bem eletrizante, acho q vou gostar
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol!
      É sim. Tem umas cenas de ação bem escritas pra caramba. Você realmente fica preso e sufocado na tensão da trama.

      Abraços
      David

      Excluir

Expresse-se