Coluna: Papeando com o Leitor #32!



Quando um quadrinhos de super heróis resolve dar visibilidade para algum grupo da sociedade, isso já é um passo enorme. Temos como exemplos: 'Pantera Negra' e 'Capitã Marvel' (Carol Danvers). Mas obviamente, existem outros grupos que receberam visibilidade durante os anos.

Obviamente que visibilidade por visibilidade não basta. Como um famoso quadrinista disse uma vez "Todos os quadrinhos são políticos.", logo, como uma boa ferramenta política, ela deve elevar essa visibilidade para uma representatividade. E muitas vezes, é mais importante representar um grupo social do que apenas dar visibilidade para ele.

Partindo desse ponto, vamos falar um pouco sobre dois personagens, por mim, muito queridos, e que, em minha opinião, dão uma boa representatividade para as relações homoafetivas. Hoje eu vou comentar um pouquinho com vocês sobre ospersonagens: Wiccano e Hulkling.

Eu vejo como um grande passo para a Marvel a criação desses dois personagens, e não porque ela já não tivesse um personagem gay importante. Bem antes dele, já tínhamos essa visibilidade LGBTq com o mutante Estrela Polar. O que muda com a inserção de Wiccano e Hulking é que finalmente veremos um casal que ambos são heróis e que lutam juntos sempre com cumplicidade, mostrando um pouco da dinâmica na relação homoafetiva, em minha opinião, com muita perfeição. E não se engane achando que eles são personagens sem importância e suas participações no universo Marvel se resume apenas a isso. Muito pelo contrário.


William "Billy" Kaplan, o Wiccano, é filho de espírito de Wanda Maximoff (Feiticeira Escarlate) com o Visão (longa história, recomendo que leiam as histórias dos 'Jovens Vingadores' para compreender melhor). Enquanto, Theodore "Teddy" Rufus Altman, o Hulkling, é filho do Capitão Mar-Vell com a Princesa Anelle, uma princesa do reino Skrull, uma raça muito importante no universo cósmico da Marvel. Daqui já podemos ver que eles não são pouca coisa.

Fico feliz pelo trabalho que Allan Heinberg e Jim Cheung fizeram na criação do 'Jovens Vingadores' e ainda mais por como a relação do meus dois amados foi sendo desenvolvida com a naturalidade que qualquer relação homossexual deveria ser tratada. Isso é o que torna a histórias dos dois em algo ao qual alguém possa se sentir representado, eu particularmente me senti. Essa deve ser a sensação que todos os leitores de quadrinhos (ou de qualquer outro tipo de conteúdo) deveriam sentir, se ver representado por personagem X ou Y. Isso é o que nos impulsionam à leitura.


No que envolve o relacionamento de Billy e Teddy, eu me senti representado porque é o tipo de relacionamento que gostaria de ter e que foge das características estereotipadas que é criada sobre relacionamentos homoafetivos. É um namoro onde envolve um grande amor recíproco, com muita cumplicidade e apoio mútuo. Essas coisas quando são vistas pelos espectro dos estereótipos são adversas, porém, são mais plausíveis de serem reais.

Por fim, Billy e Teddy atualmente, ao menos até onde li, deixaram o heroísmo um pouco de lado para se dedicarem ao seu relacionamento, e estão noivos. Espero em breve ver uma história dos dois no qual tenha um possível casamento? Seria um sonho de fã deles acompanhar mais histórias. Por falar em esperanças, espero também vê-los em breve em suas adaptações cinematográficas nos filmes da Marvel. O terreno já está sendo semeado.


8 comentários

  1. Oi, Anderson!
    Eu acho essa história da Feiticeira Escarlate com o Visão a coisa mais fumada que a Marvel inventou hahahahha
    Voltando ao assunto do post, eu não acompanho HQs mas gostei de conhecer melhor esse casal e espero que eles abram mais portas para personagens LGBTs nos quadrinhos.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza! A Marvel já gosta de coisas fumadas kkkkkk

      Eu também não tinha o hábito de acompanhar HQs, na verdade nunca tinha parado pra ler uma, mas um amigo me falou tantos dos dois que eu fui ler as histórias deles e me apaixonei hahaha

      Excluir
  2. Oi Anderson!! Eu não costumo acompanhar as HQs da Marvel e ás vezes me sinto perdida com tantas histórias e arcos, confesso. Mas fico feliz que o relacionamento homoafetivo esteja funcionando bem entre os heróis, e os autores estejam trabalhando bem os personagem. Torcendo pra ter séries ou adaptação nos cinemas!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi! Espero muito que façam uma série ou filme deles pra que mais pessoas possam conhecer eles.

      Excluir
  3. Olá, Anderson.
    Eu não acompanho HQs, por isso não conhecia os personagens. Mas achei legal eles terem sido bem escritos e você se sentiu representado. Geralmente o que vemos é um personagem que é o melhor amigo da protagonista e que só está na história para ter cenas de humor ou para consolar a protagonista quando ela leva um fora.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sil! Infelizmente esse é o mais uso de personagens gay, o de ponto de apoio das garotas. Mas aqui a história é completamente diferente, amo muito isso neles.

      Excluir
  4. Oi Anderson! Eu não conhecia estes personagens dos quadrinhos, mas achei bem legal este representatividade em um meio que faz tanto sucesso. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cida! Essa representatividade num meio como os dos quadrinhos é muito importante mesmo. Felizmente ela existe ❤️

      Excluir

Expresse-se