Resenha #220 - Corte de Gelo e Estrelas (Corte de Espinhos e Rosa Vol 4)!






Título: Corte de Gelo e Estrelas
Coleção: Corte de Espinhos e Rosas Vol 4
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2018
Especificações: Brochura | 238 páginas
ISBN: 
13: 9788501302694
 Sinopse
O aguardado spin-off da série Corte de Espinhos e Rosas.
Feyre, Rhys e seu círculo íntimo de amigos ainda estão ocupados reconstruindo a Corte Noturna e tentando manter a paz, conquistada a base de muito esforço e perdas pessoais, após a queda da muralha.
Mas o Solstício de Inverno finalmente está próximo e, com isso, um alívio merecido. Compras, festas, celebração e a promessa de dias tranquilos. A atmosfera festiva não consegue, entretanto, impedir que as sombras da guerra se aproximem.
Em seu primeiro Solstício como Grã-Senhora, Feyre ainda lidando com os horrores do passado recente, e percebe que seu parceiro e sua família têm mais cicatrizes do que ela esperava – cicatrizes que podem impactar o futuro, e a paz, de sua Corte.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Sem grandes acontecimentos e repletos dos clichês que eu mais odeio em livros de fantasia, especificamente falando dos livros da autora que eu já li, 'Corte de Gelo e Estrelas' é um volume totalmente sem necessidade, que não acrescenta nada de substancial a trama fora um fanservice mal feito, desconstruindo a visão positiva que eu tinha em relação a alguns personagens.

Resumindo basicamente sem fornecer nenhum spoler das tramas anteriores, esse livro reúne contos sobre acontecimentos que se passam com Feyre e seus companheiros após os eventos do terceiro volume da série, 'Corte de Asas e Ruínas' (RESENHA AQUI), ainda tentando lidar com todas as consequências da guerra.

Narrado em primeira pessoa através da visão de diversos personagens, centralizando Feyre e Rhysand, 'Corte de Gelo e Estrelas' é uma leitura fluída, marcada por floreios românticos e um desfecho amargo. Com a escrita leve, Sarah J. Maas de fato guia o leitor com facilidade pelos capítulos, atiçando a curiosidade, principalmente dos fãs, para prováveis conclusões para determinados personagens que amamos ao decorrer dos três livros anteriores. Infelizmente, só atiçando mesmo. A carga dramática desse livro é absurda e os momentos do casal tornam-se insuportáveis, a medida que tudo vira um loop interminável de tensão sexual e o ato sexual em si. Com certeza um dos mais fanservices que já li. Com uma gama de assuntos bem mais interessantes a tratar; um leque de personagens bem mais legais para trabalhar, a autora se prende aos velhos protagonistas que passam folhas e mais folhas se alfinetando em piadas erotizadas e sem graça, que cansam e desmotivam. Como se não bastasse, ela ainda preenche um longo capítulo de descrição sobre sexo que a meu ver, foi totalmente desproporcional a proposta a obra e não serviu em nada. Só mais um agrado para o seu público alvo. E nada contra, adianto, mas, nesse volume, é excessivo demais; desconexo demais. A mim, não houve espaço para abordagens desse tipo de cena. Havia coisa mais urgentes e bem mais relevantes. Ou que se ela fosse trabalhar, que pelo menos incluísse algo relevante depois, e não mais do mesmo.

Feyre e Rhysand são o meu ponto principal de decepção nessa leitura. Eu gostava muito do casal, inclusive, no primeiro livro, a relação deles, é o ápice para mim, mas desde o terceiro volume que essa relação se transformou extremamente unilateral e o que antes era uma parceria bonita, tornou-se um ninho de manipulação, com a figura feminina no comando. Feyre executa ações absurdas durante o decorrer da história e a consequência final é horrível, mal feita e mostra o quanto a personagem não aprendeu nada, mesmo depois de tudo o que passou. Seus dramas são infundados e sem qualquer apego, ao passo que só faz ordenar coisas e mais coisas para seu mais novo cachorrinho de estimação, Rhysand, que perdeu a voz, tornou-se um bichinho domesticado que só pensa em sexo e em piadas estúpidas. O cara literalmente só pensa com a cabeça de baixo! Em momento algum você vê um acordo mútuo entre eles. Ela manda, ele obedece. E retornamos ao velho relacionamento possessivo tóxico, de ambas as partes.

Como se não bastasse estragá-los, outros personagens acabam sendo arrebatados nessas desconstrução desinfundada e já demonstram vínculos que não parecem fazer qualquer sentido. Não só suas personalidades são alteradas por causa de uma mulher, sem mais nem menos, (ao caso de Azriel), como suas decisões (ao caso de Elain). 

Sem contar que boa parte da trama, que deveria trazer um enfoque maior a irmã de Feyre, Nesta, que será protagonista de uma história futura, deixa-a completamente alheia a tudo, tornando-se vaga e até meio insuportável. O único capítulo útil dessa personagem é o último, onde seu comportamento tem uma explicação. E esse é definitivamente o valor do livro. Até mesmo seu par romântico, Cassian, me deixou desgostoso com a leitura. Ele era acuado. Não tomava uma atitude. E não tomou, ao fim, acatando mais ordens de Feyre.

Então, definitivamente, esse é livro ruim, com transições ruins para os personagens, e acontecimentos superficiais e estúpidos, que não geram qualquer informação útil, a não ser pela última frase do livro, essa sim é útil. A tirar os capítulos narrados por Rhysand, que constroem um pouco mais de sua relação com seus irmãos de batalha, Cassian e Azriel; o capítulo da Nesta e um capítulo extremamente aleatório da personagem Mor (que também passa o livro toda perdida entre as páginas), 'Corte de Gelo e Estrelas' foi uma total perda de tempo e me desmotivou muito a tentar continuar essa série, confesso. Não sei ao certo quais volumes virão, mas com certeza pensarei mais algumas vezes e estabelecerei uma expectativa mínima para não me decepcionar novamente caso volte a ler.


Sarah J. Maas vive no sul da Califórnia, gosta dos filmes da Disney e música pop. Ela adora contos de fadas e balé, bebidas de café, e assistir programas de TV. Quando ela não está ocupada escrevendo romances de fantasia YA, gosta de explorar a costa da Califórnia.







7 comentários

  1. Já tinha ouvido falar que esse livro é bem necessidade de existir, por isso nem fiz questão de ir atrás.. uma pena..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Migo, onde a gente assina pra esquecer que lemos esse livro???
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!
      Quero o contrato também KKKKK Pelo amor de Deus.

      Abraços
      David

      Excluir
  3. SÓ VERDADES, que livro lixo. E olha que sou fã da Trilogia. Se antes já tinha dado basta em Feysand, depois desse livro eu não quero ver nem.pintado de ouro com colar de diamantes. Ranço define

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pri!
      Pois é. Não guento mais. Chega. Ja deu desses dois. Já podem morrer e ir pra pqp.

      Abraços
      David

      Excluir
  4. O David! Meu deus que tristeza!! Nem acompanho a série, mas fico triste pelos fãs e impressionada tb porque a autora é tão bem elogiada! Eu espero que os próximos sejam melhores!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi!
      Foi decepcionante demais :(

      Abraços
      David

      Excluir

Expresse-se