Resenha #252 - A Última Estrela (A 5º Onda Vol 3)!






Título: A Última Estrela
ColeçãoA 5º Onda
AutorRick Yancey
Editora: Fundamento
Ano2016
Especificações: Brochura | 264 páginas
ISBN13: 9780399162435
 Sinopse
O inimigo são os Outros. O inimigo somos nós mesmos. Eles vieram até nós porque querem a Terra. Vieram para acabar conosco. Vieram para nos salvar. Eles não inventaram a morte, mas a aperfeiçoaram. Deram um rosto a ela, porque sabiam que era a única maneira de nos exterminar. Por quê? Quem são eles realmente? O que querem de verdade?
Atrás de tantas perguntas e enigmas, há uma verdade: Cassie foi traída. Zumbi, Especialista, Nugget também. E todos os 7,5 bilhões de habitantes da Terra. Traídos pelos Outros, traídos por si mesmos. E tudo terminará onde começou no campo de batalha que é o coração humano.
Nos últimos dias da Terra, os sobreviventes precisarão decidir o que é mais importante: salvar a si mesmos ou salvar o que nos torna humanos.
Do fenômeno mundial Rick Yancey, A Última Estrela invoca triunfo, perda e ações implacáveis nesta trama sensacional que narra como o destino da humanidade é decidido.


************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


Em 'A Última Estrela', Rick Yancey encerra a jornada de sua personagem em uma narrativa rápida e instigante.

Cassie sobreviveu às últimas 4 Ondas, eventos devastadores que mataram quase toda à humanidade. A conquista dos Outros se aproxima. A e última Onda será lançada e resta a Cassie impedir. Separada pela dúvida de proteger seu irmão e ajudar seus amigos, a garota precisará tomar novas rédeas para salvar o planeta e o que resta da sua espécie.


Esse é um final tolerável e bem mais estruturado do que outras ficções científicas ou distopias que li. 'A 5° Onda' chegou ao mercado editorial com um grande diferencial, apresentando críticas bastante ferrenhas a própria religião, sendo um dos aspectos que mais gostei. A história questiona não só nossas crenças, mas esperanças, testando nossos nervos em cenas de pura tensão.

Narrado em primeira pessoa, a trama vai se alternando de visão de acordo com seus personagens.

De longe, os capítulos da personagem Especialista são os melhores. Não só lotados de ação, os dilemas da secundária são bem mais interessantes do que os da própria protagonista. Na minha opinião, ela é de fato a heroína que eu gostaria que esse livro tivesse centrado. Embora goste de Cassie, seus dilemas adolescentes envolvendo dramas românticos, me irritam. Esse fator de apelar para clichês românticos dentro de um espaço que não cabe, é o ponto alto do autor, e o que mais me decepciona. Evidentemente que ao longo de 3 livros, teríamos casais se formando e isso raramente me incomoda. No caso dessa trilogia, romance não funciona. O ambiente ao qual os personagens estão inseridos, ao meu ver, não delimita espaço para tais futilidades. A luta por sobrevivência é tão constante que eu não consigo imaginar onde apelos sentimentais se encaixariam.

A obra também tem muitos erros de ortográfica na revisão, e esse elemento, é chato se for excessivo. São erros de digitação, falta de letras, troca de palavras. Beira o absurdo em certos momentos.

Mas não desmereço todo o trabalho bem feito do autor em determinados pontos. Destaque para todas as reviravoltas e plot twist que são definitivamente impactantes.

A construção de determinados personagens me agrada muito também, como Sam, o irmão de Cassie, que muda e amadurece tanto dentro do contexto da história. Ele é meu personagem masculino favorito. Reflete não só o lado da ingenuidade e do medo, quanto da racionalidade. Suas oscilações de personalidade criam uma atmosfera mais realística. Dessa forma, adoraria vê um livro só com ele. E possa ser que tenhamos. Apesar de encerrar o arco de determinados personagens, a história em si, fica em aberto, deixando ganchos para possíveis continuações que eu até leria, caso não foque no par romântico da mocinha, Evan, que me irrita totalmente.

Sendo assim, 'A Última Estrela' tem suas contradições, quebra com alguns elementos mais originais da série, e mesmo assim se mantém sendo um desfecho bom. Apesar das ressalvas, recomendo a trilogia. E adianto, não é um final feliz. Mas justo, ao meu ver.


Rick Yancey é autor de dois livros para adultos: um romance e umas memórias. É também um experiente argumentista e foi, durante anos, crítico de teatro. As Extraordinárias Aventuras de Alfred Kropp é o seu primeiro livro para jovens, nascido do seu desejo de conjugar a sua paixão por espadas com o seu fascínio pela lenda de Excalibur – a mítica espada do rei Artur.
Vive em Knoxville (Tennessee, EUA), com a mulher e três filhos. Grande parte da história de Alfred Kropp foi escrita durante os treinos de futebol e karate dos filhos.


4 comentários

  1. Oiii David

    Noossa que triste isso da má tradução, pelo visto faltou uma boa revisão final no livro.
    Sabe aquela trillgia que eu sempre falo pra mim mesma que vou ler e nunca leio? Pois comigo é essa. Ainda quero ler essa história, mas por enquanto fica nos pendentes

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Pecou um bocado. Tem bastante erro, mas, foi um final bastante justo e fez mais sentindo que muita distopia famosa ai.

      Abraços
      David

      Excluir
  2. Oi, David! Tudo bom?
    Menino... pensa num ataque de rage com o fim de um livro. Foi a minha reação. Eu AMAVA essa trilogia com todas as forças do meu ser, ai chegou esse livro e eu acho que gosto mais do fim de Divergente do que deste, tamanho ódio.
    Nunca vi uma desconstrução de história tão avalanche e destruidora quanto essa dá vontade de GRITAR só de lembrar ABSFUABUOASGBASGUOAG RANÇOOOO
    Minha Cassie merecia mais!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nizz!
      Haha eu ate que gostei do final da trilogia. Eu achei bom o arco da Cassie. Pra mim fez muito mais sentido ela se matar do que a Tris Kkkkk. Prefiro essa sem duvidas. Mil vezes. CONVERGENTE EU SO TENHO RAIVA

      Abraços
      David

      Excluir

Expresse-se