Resenha #263 - Você Tem A Vida Inteira!





Título: Você Tem a Vida Inteira
AutorLucas Rocha
Editora: Galera Record
Ano2018
Especificações: Brochura | 288 páginas
ISBN13: 9788501115546
 Sinopse
As vidas de Ian, Victor e Henrique se encontram de uma forma inesperada.
Ian conhece Victor no dia em que recebe o resultado de seu teste rápido de HIV. Os dois são universitários. Victor está envolvido com Henrique. Ian está solteiro. Os três são gays.
Dois deles têm a vida atingida pela notícia de um diagnóstico positivo para o HIV. Um não tem o vírus. Um está indetectável. Dois estão apaixonados.
Henrique é mais velho e, depois de Victor, pensou que poderia acreditar de novo em alguém.
Victor têm medo do que o amor pode trazer para a sua vida.
Ian sequer sabe se será capaz de amar.
Os três são, ao mesmo tempo, heróis e vilões de uma história que não é sobre culpa, mas sim sobre amor, amigos e sobre como podemos formar nossas próprias famílias.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************

'Você tem a Vida Inteira' traz 3 histórias diferentes que vão se entrelaçando de formas inesperadas, mas ao mesmo tempo são tão fluídas e coerentes.

Na trama, de um lado temos Ian, que acabou de receber o diagnóstico de soro positivo, deixando-o bastante abalado, acabando por se tornar um ponto de virada em seu amadurecimento. De outro temos Victor, um garoto que recebe a notícia dias após ter tido relações com camisinha que o seu companheiro era soro positivo, mas que acaba ficando paranoico achando que pode ter pego o vírus. E por fim temos Henrique, o rapaz com quem Victor se envolveu e que já convive com o HIV há 3 anos.

É interessante a forma como os personagens vão se ajudando a evoluir no decorrer da história. Vemos Ian dando conselhos à Victor de correr atrás do seu amor, independente da sorologia dele, já que ambos se preveniram. Mas também temos Henrique como uma pessoa mais "experiente" aconselhando Ian à se adaptar a nova rotina e mostrando que dá para ter uma vida normal mesmo sendo soro positivo.


'Você Tem a Vida Inteira' foi uma obra que me encantou. Eu amei a forma como o livro nos mostra todas essas camadas, uma vez que você aborda três lados diferentes do HIV. Temos o garoto que não é soro positivo, mas que se apaixona por um e no começo tem um grande receio de contrair o vírus, mesmo se protegendo. Temos o garoto que acaba de descobrir sua sorologia e que vai começar a ver a vida com um novo ponto de vista e tem que se adaptar à uma nova rotina de consultas e remédio. E temos o lado de alguém que convive com o vírus há um tempo relativamente longo e que sofre quando conta para seus parceiros que é soro positivo e eles acabam o abandonando por puro preconceito e desinformação. Essa distinção foi interessante de vê, de maneira que todos os núcleos são muito bem trabalhados.

De uma forma geral, o plot do Henrique é bem mais aprofundado e tem o melhor personagem secundário, Eric, o garoto que divide apartamento com ele e que de novo trabalha como drag queen. Mas isso não torna os demais plots e a qualidade narrativa inferiores. Todos têm seus pontos diferentes. O fato dos 3 serem bem diferentes em si dá um toque especial à cada capítulo, criando uma narração que  relaciona os acontecimentos e/ou complementa o que é narrado de um para o outro.

Claro que um livro com essa temática teria que abordar o preconceito que as pessoas portadoras dos HIV sofrem, inclusive os capítulos finais são bem centrados nisso e trazem todo um tom pesado. Mas em contrapartida também apresenta uma mensagem positiva de superação. Foi muito importante ter um maior conhecimento sobre o assunto e confesso que talvez eu agisse um pouco como o Victor se fosse ele, mas agora acho que tenho uma visão um tanto diferente do assunto.

Super recomendo essa leitura para quem quiser conhecer mais sobre o assunto e sobre esses personagens tão interessantes!


Lucas Rocha é um bibliotecário com mestrado em Ciência da Informação, formado pela Universidade Federal Fluminense. Alguns de seus contos foram publicados em coletâneas impressas e digitais, com destaque para os projetos O Outro Lado da Cidade e Todas as Cores do Natal. Você tem a vida inteira, um livro LGBTQ+ que mostra a importância das amizades quando tudo parece não fazer sentido, é o seu primeiro romance.


10 comentários

  1. Oi, Anderson! Tudo bom?
    Eu já tive contato com a narrativa do Lucas num conto de natal dele e tinha achado muito amorzinho, bem humorada e jovial na medida certa. Ainda não consegui ler esse livro, mas tem tanto elogio pra cima da história que tenho certeza de que não vou me decepcionar!
    Espero conseguir ler em breve. Adorei a resenha.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise! A linguagem dele nesse também é bem atual, curto muito quando o autor faz isso.

      Excluir
  2. Oi Anderson,
    Quero muito conhecer a escrita do Lucas e essa obra especificamente porque a temática é tão sensível que merece ser lida e conhecida por mais gente.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alessandra! Eu acho que o livro trouxe um ensinamento muito importante acerca desse assunto, aprendi bastante.

      Excluir
  3. Oi, Anderson!
    Achei bem diferente o livro, mas me despertou bastante interesse ver como o HIV é tratado nessas três histórias.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi muito bom ver os três pontos de vista diferentes

      Excluir
  4. Oi
    primeira resenha que leio desse livro, nunca tinha lido sobre livros que falam de HIV, parece ser interessante a leitura, que bom que gostou da leitura da história.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A leitura foi muito interessante e com um bom aprendizado.

      Excluir
  5. Olá, Anderson.
    Achei o livro, que eu ainda não conhecia, bem interessante. Que legal ele abordar sobre o HIV em diferentes planos. Sou da época em que começou a se falar em Aids e o preconceito hoje não é nada perto do que era na época.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Sil, ainda bem que os tempos estão mudando e as pessoas estão conhecendo mais sobre o vírus e a medicina tá se aproximando de uma cura.

      Excluir

Expresse-se