Resenha #278 - Minha Versão de Você!





Título: Minha Versão de Você
AutoraChristina Lauren
Editora: Universo dos Livros
Ano2017
Especificações: Brochura | 352 páginas
ISBN13: 9788593911057
 Sinopse
Os fãs de Fangirl e Simon vs. A agenda Homo Sapiens vão se deliciar com esta incrível e divertida história da autora best-seller Christina Lauren.
Há três anos a família de Tanner Scott se mudou da Califórnia para Utah, fazendo com que sua bissexualidade voltasse para o armário. Agora, com apenas mais um semestre até o fim das aulas no colegial e seu tão sonhado futuro em uma universidade longe da família, ele só deseja que o tempo passe mais depressa. Quando Autumn, sua melhor amiga, se inscreve na aula de escrita e o desafia a participar, Tanner não consegue recusar o convite, afinal de contas, quatro meses é tempo mais do que suficiente para escrever um livro, certo? O garoto está mais certo do que imagina, pois leva apenas um segundo para que ele note Sebastian Brother, o prodígio mórmon que, nas aulas de escrita do ano anterior, escreveu e publicou o próprio livro, e agora orienta a turma. Se quatro meses é muito tempo, um mês pode não ser. E é exatamente esse tempo que leva para Tanner se apaixonar por Sebastian.

************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************


"Coragem é ser você mesmo todos os dias em um mundo que lhe diz para ser outra pessoa.

Em 'Minha Versão de Você' temos uma discussão muito importante e que acontece com muitas pessoas LGBTs: sexualidade x religião.

De um lado temos Tanner, um garoto bissexual que apesar de ser bem resolvido com sua sexualidade tem que a esconde, pois, sua nova cidade conta com 90% da população sendo mórmon, então sua mãe o recomenda que não fale sobre o que ele é para ninguém para não sofrer preconceito, nem mesmo sua melhor amiga.

Do outro temos Sebastian, um garoto mórmon que acabou de lançar um livro e é chamado de volta à sua antiga escola para dar assistência ao seu antigo professor. A cereja desse bolo é que Sebastian nada mais é do que o filho do Bispo, então já dá para imaginar o peso que isso teria numa pessoa.

A forma como o relacionamento deles vai sendo construído é fofo e interessante, e eu achava que o pobre Tanner seria uma grande Alice, porque tinha se apaixonado pelo aparentemente hétero Sebastian, que muitas vezes parecia o tratar com cordialidade. Porém grande foi minha surpresa quando vi Sebastian retribuindo as investidas de Tanner.

Fiquei bem surpreso quando vi que as autoras da série 'Irresistível', um romance hot, estavam por trás de um YA tão bom assim. São meio que universos tão distintos, mas elas souberam tratar esse assunto tão importante de uma forma perfeita.

"Somos ensinados a entregar a vida a Cristo e Ele vai nos mostrar o caminho. Mas, quando eu oro, o Senhor diz que sim. Ele me diz que sente orgulho de mim e que me ama. Quando beijo você, sinto que é certo, mesmo quando tudo o que leio diz o contrário."

Eu como LGBT sei bem o peso que a religião tem na minha vida, e como as pessoas podem usá-la como arma de preconceito. Infelizmente é isso que acontece com Sebastian, tanto que mesmo estando em um relacionamento escondido com o Tanner, ele sempre diz que não é gay. Ele sente que caso não se rotule como tal seria menos pior aos olhos das pessoas.

Eu confesso que terminei a leitura bastante revoltado com as religiões que até mesmo no ficcional estavam atrapalhando a vida de uma pessoa. Mas tenho fé de que um dia ela não será um empecilho na vida de ninguém e que as pessoas que se dizem religiosas vão parar de usá-la para atacar ao invés de amar.


Eu amo como a arte do livro representa bem a essência da história, utilizando-se de metalinguagem: um livro que mostra várias vezes o processo de criação de um livro. Apesar de amar o título nacional, eu acho que o título original sintetiza mais a coração da obra: um garoto escrevendo sobre sua relação com um garoto mórmon.

No mais, eu super recomendo esse livro. Tenho certeza que vocês se encantaram pela história assim como eu.




Christina Hobbs e Lauren Billings escrevem sob o pseudônimo de Christina Lauren (combinação de ambos os nomes). Separadas pelo incômodo Estado de Nevada, estas amigas, e co-autoras, se falam várias vezes ao dia, concordam que Ruby Pumps é a melhor cor de esmalte que já existiu, e, se pudessem escolher, passariam o dia todo olhando para o oceano a partir do cais de San Clemente.





22 comentários

  1. Oi Anderson, eu infelizmente não curti o último livro das autoras, mas devido ao tema e depois da sua resenha até fiquei com vontade de conferir! <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha única leitura dessas tinha sido o primeiro livro da série Irresistível e fiquei bem surpreso com esse livro.

      Excluir
  2. Olá, Anderson.
    Não sei se leria esse livro, mas achei a história dele bem relevante. Infelizmente as pessoas usam a religião como uma forma de escudo. Qualquer coisa usam a religião para desculpar os atos que sabem bem que estão errados. E digo isso com conhecimento de causa porque sou evangélica desde que nasci e estou cansada de ver como as pessoas são hipócritas não somente nesse, mas em quase todos os assuntos. Engraçado que se esquecem do mais importante que foi o maior mandamento que Jesus deixou, que é amar acima de tudo.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, as pessoas usam a religião para atacar e esquecem desse mandamento básico que é amar o próximo.

      Excluir
  3. Que lindo, eu nao conhecia (desculpa meu portugues super ruim), espero ter a oportunidade de poder leer ele, obrigada por seu tempo escrevedo ese post, amei o blog tambem.

    -GEEKY FREAKY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se conseguir ler, espero que goste, porque acho que a história é muito importante e boa.

      Excluir
  4. Olá
    Eu sempre leio resenha super positivas desse livro e tenho um interesse enorme em lê-lo e sua resenha me fez ter mais vontade
    O fato da religião ainda influenciar na vida e nos relacionamento das pessoas é algo que não deveria mais pesar na vida de alguém
    Beijos
    https://focadasnoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que consiga ler logo. O fato da religião é bem complicado e infelizmente sinto isso na pele.

      Excluir
  5. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA Eu amo demais esse livro! Eu achei ele muito fofo e bastante delicado nessa questão de fé e sexualidade.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. Participe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho um amor muito especial por esse livro, não vou negar que queria uma continuação de tanto que gostei haha

      Excluir
  6. Oi, Anderson! Tudo bom?
    Eu li esse livro antes de dar de presente pra minha amiga e aaaaaaaaaaaa história mais LINDA e tocante! Chorei horrores em vários momentos e aquele final roubou meu coração <3

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu confesso que já estava desiludido com o final, mas fui surpreendido com aquele final tão lindo, mostrando que o amor é mais forte que o preconceito.

      Excluir
  7. Oi
    não conhecia a história e fiquei interessada para ver como que os personagens lidão com a situação da religião, nunca li nada das autoras, mas só vejo elogios.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Anderson!

    Adorei a sua resenha, a capa desse livro é linda e a história retrata temas importantes, ainda mais envolvendo a religião, que é um assunto complexo e que sempre gera discussão, e se tratando de temas LGBT então, imagino o quanto mais isso implique.

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei uma leitura importante, ainda mais para os dias de hoje.

      Excluir
  9. Olá, Anderson

    É por uma dessas que cada vez mais me vejo como uma pessoa sem religião. Eu me identifico mais com a fé católica, mas creio que fé e religião não precisam caminhar juntas. Posso ser minha própria igreja e não posso compactuar com um ambiente onde a maioria das pessoas achar anormal e imoral o fato de uma pessoa se relacionar com alguém do mesmo sexo.
    Quem diria que a dupla Christina Lauren iria escrever um livro nessa pegada... me surpreendeu!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tamires! Eu ando bem nessa vibe de sem religião. Continuo crendo em Deus, mas acho que a religião não é a nossa solução. Minhas experiências e sentimentos fizeram me afastar da igreja. Quanto às autoras, eu fiquei muito surpreso, porque elas tiveram uma abordagem tão sensível e eu não imaginaria por conta dos livros eróticos delas.

      Excluir
  10. Ainda não li nenhum livro com temática lgbt, apenas mangás mas tenho muita vontade de começar e esse me parece ser bem bom. Não conheço as autoras mas saber que abordaram um tema tão delicado e bonito e de uma forma boa me deixou muito interessada. É triste saber que vivemos em um mundo onde a sexualidade do outro é mais importante do que seu próprio bem estar e felicidade. Que tempos....

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa. Então, esse livro pode ser um bom ponto de partida para leituras LGBTs, apesar de achar um pouco forte pra 1ª leitura do gênero, mas às vezes o choque pode ser positivo. Quanto ao seu último ponto, realmente é muito triste ver as pessoas se importarem mais com a nossa sexualidade do que com o fato de estarmos bem ou não, felizes ou não, orgulhosos ou não. Mas tenho fé de que isso irá mudar um dia.

      Excluir
  11. Já li livros com assuntos semelhantes e sempre fico revoltada quando a religião começa a ser algo a temer e não a ter de forma limpa. Tenho uma mania de quando leio um livro fico tentando descobrir qual parte dele está na capa.

    Beijos
    Imersão Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leyanne. Eu fiz uma maratona com 12 livros LGBTs, acredita que esse foi o segundo livro nessa maratona onde a religião e a sexualidade entravam em atrito? Isso me deixou tão triste e revoltado. Já sobre a capa, não é exatamente sobre uma parte específica da história, é mais uma representação do livro inteiro, quando você ler vai entender bem o que quero dizer.

      Excluir

Expresse-se